Tamanho do texto

Para empresário, dono de uma companhia avaliada em US$ 37 bilhões, não existe o segundo colocado, apenas o primeiro

Reuters

Com uma mão de ferro, o fundador da companhia JD.com, Richard Liu, transformou a segunda maior varejista da China de uma pequena empresa de Pequim em uma rica companhia listada na bolsa de Nova York. O próximo alvo de Liu é superar o concorrente Alibaba, de Jack Ma.

"A concorrência torna as duas companhias mais fortes", afirma Liu, um bilionário aos 41 anos. "Na verdade estou realmente gostando de competir", diz o presidente-executivo.

Veja 10 curiosidades sobre Richard Liu e a JD.com

Além de ações de uma companhia de US$ 37 bilhões, Liu ainda controla 84% dos direitos à voto da JD.com. Se isso causa preocupações sobre a governança, também torna mais pessoal a sua determinação de enfrentar a maior concorrente, a gigante de comércio eletrônico Alibaba, fundada por Jack Ma.

"Ele tem essa ambição de vencer ... ele diz que só há o primeiro colocado, não há o segundo", explica Kathy Xu, fundadora e sócia-gerente da Capital Today Group. Xu, uma das mais bem-sucedidas investidoras em empresas emergentes da China, colocou US$ 10 milhões na JD.com em 2006: seu investimento vale hoje 110 vezes esse montante.

Como a Amazon.com, a JD.com tem um negócio de comércio eletrônico focado em logística. A companhia, cuja equipe de entregas é maior que os 22 mil funcionários da Alibaba, promete entregas no mesmo dia em 43 das maiores cidades da China.

"É sobre quem pode dar aos consumidores a melhor experiências, são estes que vão ter sucesso e alcançar a vitória final", diz Liu. Segundo a iResearch, o mercado de comércio eletrônico da China vai crescer quase dois terços para 4,45 trilhões de yuanes (US$ 717 bilhões) em 2017, ante 1,84 trilhão de yuanes em 2013.