Tamanho do texto

Acionista julga que política que autoriza prêmio anual de mais de US$ 150 milhões em ações a diretores é generosa demais

Zuckerberg (foto) e outros diretores do Facebook são processados por plano de incentivo
AP
Zuckerberg (foto) e outros diretores do Facebook são processados por plano de incentivo

Mark Zuckerberg e outros membros do Conselho do Facebook foram processados por um acionista que alegou que a política que autoriza prêmio anual de mais de US$ 150 milhões em ações a diretores é generosa demais.

Em uma reclamação enviada na noite de sexta-feira à corte de Delaware, Ernesto Espinoza disse que o Conselho "estava essencialmente livre para garantir a si mesmo qualquer montante de compensação que quisesse", sob o plano de incentivo de 2012 da rede social, que também cobre funcionários e consultores.

Ele disse que o plano capta anualmente um total de prêmios de 25 milhões de ações e prêmios individuais de 2,5 milhões, e em teoria permite que o Conselho anualmente premie diretores com US$ 156 milhões em ações cada, baseado no preço de fechamento das ações de sexta-feira, de US$ 62,50. O processo não sustenta que tais volumes serão efetivamente pagos.

- Funcionários da Lego têm o cartão de visita mais criativo de todos

Espinoza também disse que o pagamento médio do ano passado de US$ 461 mil a diretores não funcionários era muito alto, sendo 43% mais alto que os pagamentos típicos em companhias rivais como Amazon.com e Walt Disney, que na média geraram duas vezes mais receitas e lucro três vezes maior.

A porta-voz do Facebook Genevieve Grdina disse em um e-mail: "o processo não tem mérito e vamos nos defender de forma vigorosa".

    Leia tudo sobre: facebook
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.