Tamanho do texto

Programa foi iniciado quando moeda norte-americana chegou a R$ 2,45

Alexandre Tombini, presidente do BC
Agência Brasil
Alexandre Tombini, presidente do BC

O Banco Central brasileiro anunciou nesta sexta-feira (6) a extensão do programa de intervenção no mercado de câmbio a partir de 1º de julho, com a manutenção dos leilões de swap cambial [ equivalente a vendas de dólares no mercado futuro ] , para dar hedge [ proteção ] e liquidez ao mercado.

LEIA TAMBÉM: Dólar cai abaixo de R$ 2,25

Os detalhes do programa, contudo, como prazo e montante das operações, não foram divulgados. A expectativa de agentes do mercado é de que o BC reduza o escopo do programa, com redução no número de swaps ofertados diariamente.

O BC tem intervido no mercado de câmbio regularmente desde 22 de agosto do ano passado, quando o dólar chegou a R$ 2,45. Na primeira fase do programa, entre agosto e dezembro, o BC realizou quatro leilões diários por semana de até 10 mil contratos, e um leilão semanal de dólar com compromisso de recompra. A partir de janeiro, o BC passou a ofertar diariamente 4 mil contratos de swaps.

"Considerando que a necessidade de proteção cambial (hedge) demandada pelos agentes econômicos vem sendo atendida pelo programa de leilões de swap e venda de dólares... e ainda com o objetivo de continuar provendo hedge cambial e liquidez ao mercado de câmbio, o BC estenderá, a partir de 1º de julho de 2014, o programa de leilões de swap cambial", disse o BC em comunicado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.