Tamanho do texto

Em caso de descumprimento da liminar, será cobrada multa de R$ 5 mil por trabalhador prejudicado

O inquérito civil foi instaurado após três condenações da Centauro em ações individuais
Divulgação
O inquérito civil foi instaurado após três condenações da Centauro em ações individuais

A Centauro, uma das maiores redes de artigos esportivos do País, foi proibida a exigir exame de detecção de drogas dos seus funcionários. A decisão é provisória e foi tomada pela 2ª Vara do Trabalho de Pouso Alegre (MG).

-Leia também:  Gol é condenada por racismo após atendente dizer "tinha que ser preto mesmo”

Segundo nota publicada no site do Ministério Público do Trabalho (MPT), em caso de descumprimento, será cobrada multa de R$ 5 mil por trabalhador prejudicado.

Na ação, o MPT pede ainda indenização de R$ 500 mil por dano moral coletivo.

"O inquérito civil foi instaurado após três condenações da Centauro em ações individuais de ex-funcionários por causa do exame", informa.

Se aprovado o pedido de dano moral coletivo, o dinheiro será revertido a entidades assistenciais da região, ao Fundo Especial do Ministério Público ou a outras finalidades sociais.

Em nota, o Grupo SBF, detentor de uso da marca Centauro, informa que sempre cumpriu suas obrigações legais.

"A empresa esclarece também que teve conhecimento do processo mencionado, ajuizado pelo Ministério Público do Trabalho, e que, em momento oportuno, apresentará defesa e esclarecimentos necessários", acrescenta.