Tamanho do texto

No quarto trimestre do ano passado, o prejuízo foi de R$ 353,1 milhões

Reuters

A mineradora MMX registrou prejuízo líquido de R$ 353,1 milhões no quarto trimestre de 2013, ante resultado de negativo de R$ 348,7 milhões no mesmo período de 2012, informou a empresa na última quarta-feira (26).

Eike Batista
Elisa Rodrigues / Futura Press
Eike Batista

O Ebitda (sigla em inglês para lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) ficou negativo em R$ 127,4 milhões no quarto trimestre, ante negativo em R$ 222,4 milhões um ano antes.

Veja também: Ex-OGX estende acordo com OSX, de Eike, pela terceira vez

Em 2013, a companhia de mineração de Eike Batista teve prejuízo líquido de R$ 2 bilhões, bem acima do resultado negativo de R$ 795,7 milhões um ano antes. No ano passado, a empresa teve que fazer uma forte reestruturação, com venda de ativos, por conta de dificuldades financeiras que envolveram as empresas do grupo EBX.

A receita operacional líquida no quarto trimestre caiu 9% ante o mesmo período de 2012, para R$ 180,7 milhões, enquanto a produção de minério de ferro recuou 32% na mesma comparação, a 1,14 milhão de toneladas. No ano, a produção caiu 20%, para 5,9 milhões de toneladas.

"O resultado foi influenciado pela menor produção de minério na unidade MMX Corumbá no primeiro semestre seguida de sua paralisação total no segundo semestre, gerando, para esta unidade, um resultado anual 65% inferior ao ano anterior", disse a companhia, acrescentando que na MMX Sudeste a produção de 2013 foi 8% menor que a do ano anterior.

No final do quarto trimestre, a posição de caixa da MMX era de R$ 39 milhões e a dívida líquida somava R$ 2,79 bilhões, o dobro do patrimônio líquido de R$ 1,398 bilhão.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.