Tamanho do texto

Segundo a Anheuser-Busch InBev, aumento de regulamentação no país está prejudicando as vendas

Reuters

Anheuser-Busch InBev irá fechar sua terceira fábrica russa em menos de dois anos
Cristiano Sant'Anna/indicefoto.com
Anheuser-Busch InBev irá fechar sua terceira fábrica russa em menos de dois anos

A Anheuser-Busch InBev, maior cervejaria do mundo, irá fechar sua terceira fábrica russa em menos de dois anos, com o aumento da regulamentação prejudicando as vendas.

A Rússia tem endurecido a regulamentação das vendas de álcool a fim de refrear o consumo. Nos últimos dois anos, o mercado de cerveja foi atingido com aumentos de impostos, além de proibição de publicidade e das vendas em quiosques.

O mercado recuou mais de 25% desde 2008, criando um excesso de capacidade para a maioria dos agentes do mercado, forçando-os a fechar fábricas e repensar estratégias.

A fabricante da Budweiser, Stella Artois e Corona disse nesta terça-feira que vai fechar uma de suas sete fábricas de cerveja na Rússia, em Perm. A investida segue o encerramento de uma fábrica em Kursk, em 2012, e de outra em Novocheboksarsk, em 2013.

"No contexto de um declínio geral no mercado devido ao aumento da carga fiscal e administrativa e fortalecimento da regulamentação legislativa, a empresa deve agir e tomar as medidas necessárias para manter seus negócios na Rússia", disse a InBev em um comunicado.

Veja também: Dona da Schin lança primeira cerveja Kirin feita no Brasil

As vendas russas da InBev caíram 13,6% no ano passado, em meio a um declínio mais amplo do mercado, com a empresa dando maior foco a marcas premium - uma categoria menos impactada com a proibição de vendas em quiosques, anteriormente um grande canal de distribuição.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.