Tamanho do texto

Presidente da Kroton, Rodrigo Galindo, afirmou que novos projetos contribuirão para uma elevação na base de alunos

Reuters

A empresa de educação Kroton previu nesta terça-feira (18) melhoras expressivas nos seus resultados operacionais de 2014, em estimativas que, aliadas aos números positivos do quarto trimestre, faziam as ações da companhia figurarem entre as maiores altas do Ibovespa.

Em teleconferência com analistas, o presidente da Kroton, Rodrigo Galindo, afirmou que novos projetos implementados pela companhia ao longo deste ano contribuirão para uma elevação na base de alunos, e, consequentemente, para um avanço da receita líquida estimado em 22%, chegando a R$ 2,465 bilhões.

-Leia também: Anhanguera Educacional tem queda de 84% no lucro do 4º trimestre de 2013

Entre as iniciativas, estão projetos ligados ao ensino adaptativo, aprovação de mais cursos de graduação e credenciamento de novas unidades e polos, disse o executivo.

Para o lucro líquido ajustado de 2014, a expectativa é de uma alta de 31% sobre o ano passado, chegando a R$ 760 milhões.

Anhanguera anunciou em abril de 2013 acordo de fusão com a empresa Kroton Educacional
Divulgação
Anhanguera anunciou em abril de 2013 acordo de fusão com a empresa Kroton Educacional

Embora a companhia calcule um avanço de 25% na geração de caixa medida pelo Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado, a R$ 910 milhões, a evolução das margens não deverá ser tão expressiva como a que ocorreu em 2013.

No ano passado, a margem Ebitda ajustada da Kroton subiu 8,6 pontos percentuais, a 36,1%, num movimento atribuído por Galindo à acomodação de mais alunos nas salas de aula. Para 2014, a expectativa é bem mais modesta, de uma alta de 0,8 ponto percentual.

"Em 2013, as salas já começaram mais cheias e a oportunidade de termos salas cada vez mais cheias é limitada", disse o executivo. Ele ressalvou, por outro lado, que a estimativa é conservadora e corresponde ao que a companhia está "absolutamente confortável em passar".

"Quando o processo de captação e rematrícula do segundo semestre tiver mostrado sua cara, a gente volta para o mercado para passar como ele está indo e revisar ou não o guidance", afirmou Galindo.

"Temos sim oportunidades acima da margem de 36,9% (esperada para o ano) ... mas só prometemos aquilo que temos convicção que podemos entregar."

Para o primeiro trimestre de 2014, a Kroton enxerga um aumento de 22,9% da base de alunos de ensino superior sobre igual período do ano passado, a 585.300 alunos. No consolidado de 2013, essa base cresceu 26,5%, chegando a aproximadamente 519 mil alunos em dezembro.

Dividendos e fusão

Aos analistas, Galindo afirmou ainda que a Kroton vê uma tendência de aumento na distribuição dos dividendos do atual patamar de 25% para até 50% do lucro, o que está sendo estudado em análise preliminar.

Nesta terça-feira (18), a empresa divulgou a aprovação da distribuição de R$ 27,7 milhões em dividendos intercalares referentes ao lucro ajustado do quarto trimestre.

Segundo o presidente da Kroton, o novo percentual não prejudicaria o plano de investimentos da companhia. Mas o executivo ressalvou que ele considera apenas as operações individuais da empresa, independente da fusão com Anhanguera Educacional, que está sendo analisada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

A Kroton não está discutindo sua política de dividendos com a Anhanguera no âmbito de uma operação unificada, disse Galindo, complementando que não há novidades sobre o andamento do processo.

Antes da abertura do mercado, a Kroton divulgou lucro líquido ajustado de R$ 137,8 milhões entre outubro e dezembro, mais de 3,5 vezes superior ao obtido em igual etapa do ano anterior.

"Olhando para rentabilidade, todos os segmentos nos surpreenderam por conta de ganhos de escala com a expansão na base de alunos e pela participação crescente de aulas online no ensino presencial", disse a corretora Brasil Plural em nota enviada a clientes.

"Fica a questão do desfecho da fusão, com a Kroton reportando um patamar de resultados muito acima de Anhanguera e abrindo espaço para especulações de mudança de ratio (relação de troca das ações) e até cancelamento do negócio", afirmou a XP Investimentos, em relatório assinado por William Castro Alves.

No consolidado de 2013, o lucro líquido da Kroton chegou a R$ 516,6 milhões, alta de 155,7% sobre 2012, com a receita líquida somando R$ 2 bilhões, aumento de 43,4% sobre o ano anterior.

Já o lucro líquido da Anhanguera caiu 17,5% na mesma base de comparação, a R$ 125,4 milhões, enquanto sua receita líquida subiu 12,8%, a R$ 1,8 bilhão.

Refletindo a diferença entre os dados, as ações da Kroton subiam 5,45% às 14h41, ao passo que os papéis da Anhanguera perdiam 1,57%. O Ibovespa ganhava 1,69% no mesmo momento.

Nos últimos dias, circularam notícias sobre o suposto interesse da Kroton em renegociar com a Anhanguera os termos da associação que criará a maior empresa de educação do País em função da ampliação da diferença entre o valor das ações das duas companhias desde a celebração do acordo, em abril passado.

Só neste ano, o papel da Kroton subiu 14,11% até o fechamento de segunda-feira (17), enquanto o da Anhanguera exibiu trajetória oposta e recuou 14,7%.

No fim de fevereiro, as empresas informaram que todas as condições previstas na assinatura da fusão estavam mantidas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.