Tamanho do texto

Segundo o TJ-RS, empresas divulgaram fotos do hotel que não eram condizentes com a realidade encontrada por cliente

Hotel Barra da Lagoa, no Rio de Janeiro
Divulgação
Hotel Barra da Lagoa, no Rio de Janeiro

A Terceira Turma Recursal Cível dos Juizados Especiais Cíveis do Rio Grande do Sul condenou em R$ 6.780 a empresa Booking.com Serviços de Reserva Ltda e o Hotel Barra da Lagoa, em Búzios (RJ) por propaganda enganosa. 

-Leia também: saiba como identificar propaganda enganosa e relembre empresas envolvidas

Segundo o Tribunal de Justiça do Estado, os sites apresentavam fotos do hotel que não condiziam com a realidade das instalações. Ou sejam, "eram propagandas enganosas".

O caso

A autora da ação adquiriu hospedagem no Hotel Barra da Lagoa no site www.booking.com.

Chegando no local, a consumidora constatou problemas no hotel, que não eram retratados nas imagens divulgadas pelas empresas. 

Veja outros casos de propagandas enganosas em hotéis na galeria abaixo:

"A estrutura do prédio do hotel era decadente, a fachada tinha infiltrações, as instalações eram precárias, sem local para acomodações das malas. A consumidora afirmou ainda que, ao subir até o quarto, verificou que o banheiro era imundo, com o secador estragado, ar condicionado barulhento, quarto cheio de mosquitos e travesseiros sujos", informa nota no site do TJ-RS.

Por conta dos imprevistos, a cliente do Booking.com teve de procurar outro lugar para se hospedar.

Procuradas nesta segunda-feira (17), as empresas ainda não se manifestaram.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.