Tamanho do texto

Profissional era instruído a só trabalhar na cozinha para não espantar clientes

Um atendente do McDonald’s que alegava discriminação no trabalho por ser feio perdeu na Justiça o direito de ser indenizado, segundo nota publicada no site do TST (Tribunal Superior do Trabalho).

O profissional afirmava que os gerentes da rede diziam que ele só poderia trabalhar na cozinha, nunca na frente de loja, porque “espantaria” os clientes.

Em juízo, o profissional também afirmou que uma gerente o impedia de participar de treinamentos que poderiam ajudá-lo a ser promovido.

No entanto, como o atendente não conseguiu provar a conduta abusiva, seu pedido de indenização foi negado em todas as instâncias da Justiça do Trabalho, informa o TST.

No processo, a Arcos Dourados, dona da marca McDonald’s no Brasil, refutou os argumentos do atendente dizendo que o trabalhador não conquistava novas posições por não ser responsável e não se adaptar às regras da empresa.

Procurados nesta sexta-feira (14), o funcionário e o McDonald’s não se manifestaram.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.