Tamanho do texto

Empresa de Blumenau é avaliada em R$ 160 milhões e teve falência decretada em 1999

A malharia Sulfabril, sediada em Blumenau e conhecida nas décadas de 70 e 80, vai à leilão no dia 27 de maio, de acordo com decisão judicial anunciada no dia 25 de fevereiro. A empresa, que foi à falência em 1999, é avaliada em R$ 160 milhões e tem uma dívida estimada em R$ 119 milhões.

Leia também: Pedidos de falência caíram 3,1% em 2013, de acordo com SCPC

Empresa têxtil já teve Regina Duarte e Sandra Bréa como garotas-propaganda
Divulgação
Empresa têxtil já teve Regina Duarte e Sandra Bréa como garotas-propaganda

Na ocasião, serão vendidas as marcas do grupo, cujo valor estimado é de R$ 40 milhões, e quatro unidades industriais, duas delas ainda em operação e que empregam 700 funcionários, que valem cerca de R$ 120 milhões. Todas estão localizadas em Santa Catarina.

Fundada em 1947, a Sulfabril já chegou a empregar mais de 5 mil funcionários e suas coleções eram anunciadas no horário nobre da televisão e nas principais revistas do País, com garotas-propaganda como Regina Duarte e Sandra Bréa.

A crise da grife teve início na década de 90, com a abertura do Brasil ao mercado internacional. O processo de falência tramita há mais de 14 anos, mas a empresa continua em funcionamento. Atualmente, a empresa está sob a administração de um síndico nomeado pela Justiça.

Ativos serão inicialmente oferecidos em conjunto

O leilão será realizado na modalidade de pregão, por carta fechada. Os interessados devem entregar as propostas até o dia 26 de maio, às 19h, no cartório da 1ª vara cível de Blumenau. 

A marca e as unidades serão oferecidas de forma conjunta. Para ofertas à vista, o lance inicial é de 75% do valor de avaliação. Para propostas a prazo, o mínimo é o valor integral da avaliação, com pagamento de 30% à vista e saldo parcelado em até 36 vezes.

Não havendo interessados para a compra em lote único, serão abertas as propostas em lotes.

O primeiro, das marcas e das duas unidades operacionais (R$ 149,3 milhões), aceitará propostas a prazo. O segundo lote, da unidade desativada em Gaspar (R$ 7,1 milhões), e o terceiro, da unidade desativada Rio do Sul (R$ 3,7 milhões), contemplam apenas ofertas à vista, com pagamento de 30% em 72 horas e saldo em 15 dias.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.