Tamanho do texto

Para o executivo da montadora japonesa, testes com veículos auto dirigíveis nos Estados Unidos representam risco e exigem regulamentação

O carro que dispensa motorista, cujo protótipo é desenvolvido pelo Google nos Estados Unidos , está longe de ser um projeto sensacional, na opinião do engenheiro-chefe de desenvolvimento de tecnologias da Honda, Masashi Satomura.

Masashi Satomura, engenheiro-chefe da Honda: dúvidas sobre o projeto do Google
Divulgação
Masashi Satomura, engenheiro-chefe da Honda: dúvidas sobre o projeto do Google

“Para engenheiros como nós, esta é uma tecnologia óbvia e fácil de ser desenvolvida”, afirmou o executivo durante o Ericsson Business Innovation Forum 2013, em Tóquio, na última quinta-feira (31).

Um Toyota Prius, fabricado pela rival da Honda no setor automotivo, foi modificado para operar os testes do Google. Desenvolvido por um dos inventores do Google Street View e engenheiro da companhia, Sebastian Thurn, o carro robótico chegou a ser premiado em US$ 2 milhões pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos.

Estados americanos como Nevada, Flórida e Califórnia passaram a permitir recentemente testes com veículos autônomos em suas rodovias, ampliando as possibilidades dos experimentos do Google nestes territórios.

“Estou surpreso que este veículo tenha sido aceito nos EUA. E se ocorrerem acidentes causados pelo projeto? Não se sabe o impacto que isso causará”, afirmou Satomura.

Veículo do Google está em fase de teste em alguns estados americanos
Divulgação
Veículo do Google está em fase de teste em alguns estados americanos


Na visão do executivo, deve haver regulamentação para definir a responsabilidade em caso de acidentes e falhas do sistema. Atualmente, a Honda realiza testes para lançar uma tecnologia de prevenção a acidentes de trânsito pela conectividade em smartphones.

* a repórter viajou a convite da Ericsson