Tamanho do texto

Apesar de ter mostrado queda no volume de vendas, com recuo de 1,1%, a Ambev conseguiu aumentar a receita líquida em 9,9% no mesmo período, para R$ 7,5 bilhões

Reuters

A Ambev, maior cervejaria do Brasil, teve lucro líquido 1,1% menor no segundo trimestre ante igual período do ano passado, impactada por aumento em custo de produtos e despesas, no segundo trimestre consecutivo de queda no volume vendido.

O lucro líquido da companhia foi de R$ 1,88 bilhão entre abril e junho, com a geração de caixa medida pelo lucro antes de antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) de R$ 3,21 bilhões, crescimento de 9,5% na comparação anual.

O lucro líquido da companhia foi de R$ 1,88 bilhão entre abril e junho
Cristiano Sant'Anna/indicefoto.com
O lucro líquido da companhia foi de R$ 1,88 bilhão entre abril e junho

Analistas esperavam Ebitda em linha com o apresentado pela empresa, de R$ 3,23 bilhões. O lucro líquido, por outro lado, veio abaixo da estimativa de R$ 2,08 bilhões, segundo a média de estimativas recolhidas pela Reuters.

Apesar de ter mostrado queda no volume de vendas, com recuo de 1,1%, a Ambev conseguiu aumentar a receita líquida em 9,9% no mesmo período, para R$ 7,5 bilhões.

Para tanto, a companhia contou com aumento de preços dos produtos, refletido no crescimento de 11,1% na receita líquida por hectolitro.

Mas a estratégia não foi suficiente para a Ambev apresentar avanço no lucro trimestral, afetada por um aumento de 12,7% no custo dos produtos vendidos, além de um avanço de 14,8% nas despesas no trimestre, na esteira de maiores investimentos em vendas e marketing na Copa das Confederações, em junho.

No balanço, a companhia chamou a atenção para o desempenho de cervejas, cujo volume vendido no país recuou 0,4% entre abril e junho, contra mergulho de 8,2% no primeiro trimestre do ano, quando a empresa afirmou que via um ano difícil pela frente.

"Ainda há muito a ser feito, mas acreditamos que nossa decisão de reagir rapidamente e ajustar os planos para o ano direcionando nosso foco para nossa estratégia de embalagens está começando a se traduzir em melhores resultados para cerveja Brasil", disse a Ambev.

A Ambev acrescentou que espera que a indústria de cerveja no país encerre 2013 estável ou com queda de um dígito baixo. A companhia manteve as metas de crescimento de receita líquida por hectolitro de um dígito alto no ano e da manutenção das despesas abaixo da inflação.

"Adicionalmente, continuamos comprometidos a investir ao redor de R$ 3 bilhões no Brasil em 2013 para buscar as oportunidades de médio e longo-prazo que o mercado tem a oferecer", disse a empresa.