Tamanho do texto

A empresa, que foi atingida por uma queda nas vendas do seu remédio para colesterol que acabou de perder a patente, o Lipitor, reafirmou as metas financeiras para o ano

Reuters

A Pfizer divulgou lucro do segundo trimestre ligeiramente acima das previsões nesta terça-feira, num momento em que a maior farmacêutica dos Estados Unidos alinha uma divisão nos negócios que poderá levar ao desmembramento da sua unidade de genéricos.

Lucro ajustado caiu 10%, para US$ 4 bilhões
ASSOCIATED PRESS/AP
Lucro ajustado caiu 10%, para US$ 4 bilhões

A empresa, que foi atingida por uma queda nas vendas do seu remédio para colesterol que acabou de perder a patente, o Lipitor, reafirmou as metas financeiras para o ano.

No segundo trimestre, o lucro ajustado caiu 10%, para US$ 4 bilhões, ou US$ 0,56 por ação, ante US$ 4,45 bilhões, ou US$ 0,59 por ação, um ano antes. A receita recuou 7%, para US$ 12,97 bilhões.

O presidente-executivo da Pfizer, Ian Read, tem analisado a estrutura do grupo depois da companhia ter alienado o negócio de nutrição e o de saúde animal. Na segunda-eira, a companhia informou que planeja separar suas operações comerciais, dando origem a duas unidades de produtos de marca e uma terceira para os genéricos.

Read disse que o novo modelo da Pfizer ajudaria a revitalizar o negócio principal da empresa, baseado em medicamentos inovadores, ao mesmo tempo em que reforçaria o valor de marcas comerciais e sem patente, maximizando a utilização de capital.

Veja também: Empresas farmacêuticas entram na mira do governo chinês

O negócio de genéricos da Pfizer, que representa 17% das vendas totais, tem margens de lucro muito mais baixas que as drogas protegidas por patentes.

A Pfizer reiterou que espera um lucro anual situado na faixa de US$ 2,10 a US$ 2,20 por ação.