Tamanho do texto

O maior impacto negativo saiu das operações internacionais da companhia, com os maiores custos na Austrália contribuindo para a queda

Agência Estado

Linha de montagem do modelo Onix na fábrica da GM em Gravataí, no Rio Grande do Sul
Divulgação
Linha de montagem do modelo Onix na fábrica da GM em Gravataí, no Rio Grande do Sul

A General Motors registrou queda de 24% no lucro líquido no segundo trimestre deste ano, para US$ 1,41 bilhão (US$ 0,93 por ação), de US$ 1,85 bilhão no mesmo período do ano passado. Excluindo alguns custos, a GM teve lucro de US$ 0,84 por ação, acima da previsão dos analistas de US$ 0,76 por ação. A receita subiu 4,0%, para US$ 39,1 bilhões, de US$ 37,6 bilhões um ano antes. No pré-mercado em Nova York, as ações da montadora subiam 2,58%.

A unidade da América do Norte gerou lucro antes de impostos de US$ 1,98 bilhão. O maior impacto negativo saiu das operações internacionais da companhia, com os maiores custos na Austrália contribuindo para uma queda no lucro antes de impostos para US$ 228 milhões, de US$ 627 milhões. A GM está reduzindo os salários dos funcionários naquele país, onde a vantagem competitiva vem diminuindo em consequência da introdução de mais carros importados.

Veja também: Peugeot estabelece 2016 como prazo para sair do prejuízo

Enquanto isso, os esforços para reduzir os custos das unidades alemãs Adam Opel e Vauxhall parecem estar começando a ter efeito, já que o prejuízo da montadora na Europa diminuiu para US$ 110 milhões, de US$ 394 milhões no segundo trimestre do ano passado. A GM terminou o trimestre com liquidez total de US$ 34,8 bilhões. Fonte: Dow Jones Newswires.