Tamanho do texto

Fabricante norueguesa de fertilizantes disse que as entregas cresceram 21% para um nível recorde no segundo trimestre

Reuters

A Yara, maior fabricante de fertilizantes nitrogenados do mundo em volume comercializado, disse que a forte demanda dos produtores por seus nutrientes ajudou a compensar a pressão sobre preços pela competição com os rivais chineses.

A empresa norueguesa disse que as entregas cresceram 21% para um nível recorde no segundo trimestre, com fertilizantes mais baratos e aumento dos preços de alimentos encorajando produtores a comprar. Isso ajudou a companhia, que tem cerca de 10% do mercado global de fertilizantes nitrogenados, a ter um resultado melhor que o esperado.

O preço médio de venda da Yara para a ureia, um fertilizante básico, foi 27% menor no trimestre em comparação com um ano atrás, com as exportações chinesas ditando preços de mercado.

Um corte no imposto de exportação da China, o maior produtor mundial de fertilizantes, a partir de 1º de julho ameaça inundar o mercado global ainda mais e colocar mais pressão de baixa sobre os preços.

Veja também: Bunge investe R$ 60 milhões e inaugura 1ª fábrica de biodiesel no Brasil

A Yara disse que foi beneficiada pela forte demanda por seu produto final misturado, que ela vende a um valor relativamente estável em comparação aos ingredientes NPK (nitrogênio, fósforo e potássio, na sigla em inglês), que separadamente tiveram queda de preços, limitando ganhos de rivais como a norte-americana Mosaic.

O aumento dos preços dos alimentos e fertilizantes mais baratos estão incentivando os agricultores a usar produtos de alta qualidade para aumentar a produtividade, disse o presidente-executivo da companhia, Jorge Halstead.

Os preços dos alimentos subiram 3,5% em abril-junho em comparação com um ano antes, de acordo com o índice de preços de alimentos da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO).

A Yara disse que ganhou participação na Europa --seu maior mercado-- onde as entregas foram adiadas depois de uma onda de frio em março, mas sem dar números.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda), excluindo itens extraordinários, caiu para 4,07 bilhões de coroas (US$ 679,03 milhões), ante 5,19 bilhões de coroas de um ano atrás, superando as expectativas de analistas de 3,67 bilhões.

Veja também: Yara compra área de fertilizantes da Bunge no Brasil

A receita aumentou 8%, para 23,2 bilhões de coroas, em comparação com uma previsão de queda de 8%.

A Yara, que no mês passado, adiou uma planejada expansão em sua fábrica temendo excesso de oferta em sua planta canadense, disse que outras empresas fora da China estavam fazendo o mesmo, sem citar exemplos.

O barato gás de xisto norte-americano levou os fabricantes de fertilizantes a investir pesadamente em novas capacidades na região, com muitos destes projetos devendo ser concluídos em 2015 ou perto disso. Algumas destes já foram adiados, disse.