Tamanho do texto

A Repsol acusa a ex-subsidiária argentina de concorrência desleal sobre a exploração do vasto campo de petróleo de xisto de Vaca Muerta

Reuters

Homem passa em frente à estação de gás da Repsol em Madri
ASSOCIATED PRESS/AP
Homem passa em frente à estação de gás da Repsol em Madri

Um tribunal espanhol aceitou julgar uma reivindicação de concorrência desleal levantada pela petroleira Repsol contra a ex-subsidiária argentina YPF sobre a exploração do vasto campo de petróleo de xisto de Vaca Muerta.

Enquanto as conseqüências da decisão ainda estão em aberto e um julgamento poderia demorar anos, o movimento pode, eventualmente, tornar mais difícil o investimento de empresas internacionais em Vaca Muerta.

Veja também: Conselho da Repsol rejeita oferta argentina por expropriação da YPF

Alguns analistas também acreditam que o episódio pode pressionar a Argentina a resolver a compensação oferecida à Repsol pelo ativo, ainda reivindicado pelo grupo petrolífero espanhol e cujo valor potencial é estimado numa faixa que vai de US$ 7,5 bilhões até US$ 90 bilhões.

A presidente argentina Cristina Kirchner confiscou a participação majoritária da Repsol na YPF em maio de 2012, acusando o grupo espanhol de investir muito pouco na unidade e forçando-o a sair do país.

A Repsol negou as acusações e entrou com ações judiciais contra o país por uma perda de US$ 10,5 bilhões. A empresa não quis comentar a decisão do juiz. A YPF não estava imediatamente disponível para comentar.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.