Tamanho do texto

Atenção dos investidores engloba desde a construção de rodovias até o projeto do trem-bala

Agência Estado

Bernardo Figueiredo, presidente da EPL
Fábio Rodrigues Pozzebom/ABr
Bernardo Figueiredo, presidente da EPL

Apesar do crescente risco político e cambial no Brasil, os investidores estrangeiros ainda estão interessados em concessões de projetos de infraestrutura, afirmou nesta segunda-feira (24) o presidente da Empresa de Planejamento e Logística (EPL), Bernardo Figueiredo. De acordo com Figueiredo, o interesse engloba desde a construção de rodovias até o projeto do trem-bala.

-Veja também: 'Estamos correndo atrás do prejuízo', diz presidente da EPL

"Investidores estrangeiros em potencial sempre visitam o meu escritório", disse. A EPL é responsável pelo programa brasileiro de infraestrutura, incluindo uma série de aguardados leilões de concessões. Ele afirmou que os investidores estrangeiros são "cruciais" para o desenvolvimento da infraestrutura do País. "Existe mais a ser feito do que o que podemos fazer imediatamente", afirmou.

As dúvidas sobre investimentos estrangeiros aumentaram nas últimas semanas por causa da onda de protestos pelo País, com a população exigindo melhora nos serviços públicos e o fim da corrupção.

Segundo a visão de muitos investidores, os protestos elevaram o risco político no Brasil. No entanto, conforme Figueiredo, "manter o prazo dos leilões de concessão vai atender a algumas das exigências dos manifestantes". "Isso é verdade, principalmente em relação aos projetos de transportes, que são o foco original dos protestos nas grandes cidades brasileiras", disse.

Queda do real

Além das manifestações, o real teve forte queda ante o dólar em maio e há a influência também de fatores externos, incluindo a possibilidade de uma redução de estímulos nos Estados Unidos. Mas isso não desanima o presidente da EPL. "Há décadas, o governo reconhece a necessidade de investir, mas nunca levou a execução a sério", afirmou, acrescentando que o Brasil precisa expandir e melhorar ferrovias, aeroportos, estradas, portos e muito mais.

O governo pretende leiloar 5.840 quilômetros de concessões rodoviárias em 2013. Figueiredo disse que os leilões são "uma questão urgente" e admitiu que o planejamento pode ter sido apressado. Novos leilões, principalmente para ferrovias, estão previstos para 2014 e 2015. "Esses serão melhor planejados", afirmou.

Além disso, a concessão do trem-bala, que ligará São Paulo e Campinas (SP) ao Rio, está prevista para setembro, com prazo de até 2020 para se tornar operacional. A EPL estima que o custo do projeto será de R$ 35,6 bilhões. Na análise do presidente da EPL, o leilão está dentro do prazo, mas "algumas modificações nas regras" podem ocorrer nos próximos meses. Fonte: Dow Jones Newswires.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.