Tamanho do texto

O combustível é um dos principais custos do setor e é precificado em dólar, moeda em alta

Agência Estado

Número de passageiros saltou de 38 milhões em 2002 para 100 milhões em 2012
Getty Images
Número de passageiros saltou de 38 milhões em 2002 para 100 milhões em 2012

A Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear) negocia com três Estados do País a redução da alíquota do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias (ICMS) incidente sobre o querosene de aviação, segundo seu presidente, Eduardo Sanovicz, que preferiu não citar os nomes dos terminais.

-Veja também: Gol vai cortar 200 voos semanais a partir de agosto

O aeroporto de Brasília já reduziu a alíquota de 25% para 12% em abril e Sanovicz diz que o objetivo é fazer a mesma redução em outros três terminais. O combustível é um dos principais custos do setor aéreo e é precificado em dólar, o que faz as despesas pesarem mais em momentos como este, em que o dólar está mais caro.

O executivo cita que Estados como Rio de Janeiro (12%) e Minas Gerais (11%) também já diminuíram a alíquota do ICMS aplicadas em voos domésticos. Os trechos internacionais são isentos de ICMS em todo o Brasil. A maior exceção até agora é São Paulo.

O executivo da Abear está em Nova York nesta segunda-feira (24) para fazer um panorama do setor aéreo no chamado "Gol Day", um evento que reúne analistas e investidores em Wall Street, para discutir as estratégias da companhia.

Na sua apresentação, Sanovicz destacou que o número de passageiros no setor aéreo brasileiro saltou de 38 milhões em 2002 para 100 milhões em 2012.

Um dos pontos, porém, é que este novo viajante, de menor renda, é mais sensível a alta de preços no setor. "O esforço do segmento é para reduzir os custos", disse ele.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.