Tamanho do texto

Estratégia das empresas é aproveitar o aumento do interesse de brasileiros pelo turismo

Com os brasileiros viajando mais para o exterior, a proximidade de eventos esportivos e o aumento da venda de serviços pela internet, os sites que comparam preços, oferecem promoções de hospedagem e fazem reservas online ampliam a atuação de olho no poder de compra dos consumidores nacionais.

Campos do Jordão, em São Paulo: mais promoções online de última hora
Divulgação
Campos do Jordão, em São Paulo: mais promoções online de última hora

É o exemplo do Hotelscombined.com, comparador de preço de diárias. O site, de origem australiana, passou a oferecer uma versão em português há um ano e meio e contratou agora uma agência de marketing digital, a Capuccino, para reforçar a marca no País.

Leia também: Financiamento para o turismo deve crescer 30% em 2013

"Percebemos que a tradução não era suficiente", diz Luiz Bevilacqua, gerente de marketing.

Agora, o site tem como enfoque os países emergentes, entre eles o Brasil. "Os mercados tradicionais estão saturados. Na Austrália, os buscadores comparam até xícaras", completa o executivo. "No Brasil, comparar preços de serviços ainda é algo recente".

O Hotelscombined oferece opções de 39 idiomas, 120 moedas e compara hotéis em 220 países, e tem funcionários no Brasil desde que passou a oferecer a versão em português. São 350 mil opções de hotéis em todo o mundo.

Agora, o site busca parceiros nacionais para poder crescer. "Não temos contrato fechado. Sabemos que marcas nacionais são preferidas pela credibilidade que têm junto aos usuários", diz Bevilacqua.

Um de seus parceiros é o Hotels.com (site de reserva de hospedagem), que também já oferece uma versão português do serviço, a Hotéis.com. Para quem quiser fazer reservas online, o Booking.com também já retirou a barreira da língua.

Para o diretor da consultoria que leva seu sobrenome, Patrick Vaysse, há uma tendência global de maior busca por viagens e o canal de vendas mudou. Hoje, segundo o especialista, de cada dez pessoas que buscam hospedagem, quatro já fecham a venda pelo celular. 

"Haviam poucas opções de hotéis e os canais tradicionais eram suficientes para mapeá-las. Isso mudou, e os destinos agora são globais", explica.

O jeito de comprar também se transforma com o maior acesso à compra de celulares pela classe média no Brasil. "A reserva pode ser feita a qualquer momento e em qualquer lugar. Mesmo que a comissão paga pelos sites seja mais do que o dobro das cobradas por canais de lojas físicas, em torno de 24%, vale a pena estar no canal, que tem muita força de vendas", conclui.

Para o consultor, os hotéis estão se adaptando a isso, e já realizam ofertas que atingem diversos países ao mesmo tempo. 

De acordo com o presidente do conselho do Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo e Mercado de Consumo (Ibevar), Claudio Felisoni, a venda de serviços online vem crescendo e é o próximo passo após a consolidação das vendas de bens duráveis. 

"Vender diárias e compará-las pela internet é fácil, já que é um serviço relativamente padronizado de acordo com a categoria do hotel, e é possível discriminar os serviços oferecidos. A tendência é que o mesmo site passa a vender estadia, passagens aéreas, seguro viagem e pacotes de turismo", explica.

De última hora

Os hotéis também se adequam ao mercado de cupons e promoções online. Isso porque sites como o Zarpo, clube de compras de hotéis de luxo, vem ampliando seu modelo de negócios.

Agora, além de promoções que exigem maior planejamento, o site também oferece entre 10 e 15 promoções semanais, com a característica de última hora e com foco na venda por aparelhos móveis. O mobile representa hoje 30% do tráfego do site, quando era de 12% há 15 meses.

"Já conseguimos ganhar mais parceiros. É mais fácil para o planejamento do hotel, que sabe que será difícil ter ocupação total do empreendimento em cinco dias", diz Eloi Déchery, um dos sócios do site. "Atendemos, desta forma, uma demanda de casais que querem dar uma fugidinha e viajar durante os finais de semana, e também executivos". 

São cerca de cem hotéis que já oferecem este tipo de promoção no site, em destinos próximos de capitais, como Campos do Jordão e Ilhabela, em São Paulo; e Região dos Lagos, no Rio de Janeiro. Estas promoções já respondem por 20% das vendas do Zarpo, e deve chegar a 30% até o final deste ano.

"Os clientes estão se tornando mais sofisticados e compram cada vez mais produtos de viagem online e não apenas as passagens aéreas", diz o executivo.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.