Tamanho do texto

Se confirmado o projeto, o modelo cotado para ser desenvolvido é o Nissan Leaf, que tem algumas unidades circulando como táxi de forma experimental na cidade de São Paulo

Agência Estado

Presidente da Nissan/Renault, Carlos Ghosn
Getty Images
Presidente da Nissan/Renault, Carlos Ghosn

O presidente mundial da Renault/Nissan, Carlos Ghosn, assina nesta terça-feira (18), com o governo do Rio de Janeiro um protocolo de intenções para estudo de viabilidade de uma fábrica de carros elétricos no Estado. Se confirmado o projeto, o modelo cotado para ser desenvolvido na nova planta é o Nissan Leaf, que tem algumas unidades circulando como táxi de forma experimental na cidade de São Paulo.

Veja também: Empresa do ABC exportará carro esportivo aos EUA

O grupo que avaliará a infraestrutura necessária para a produção local é formado pela montadora, pelo governo estadual, Petrobras, Light, Ampla e a Agência de Promoção de Investimentos do Rio de Janeiro (Rio Negócios). Segundo fontes do governo do Rio, o investimento em uma unidade ficaria na casa dos R$ 400 milhões. O grupo já está construindo uma fábrica em Resende com capacidade para 200 mil unidades ao ano de modelos da marca japonesa Nissan. O investimento é de R$ 2,6 bilhões.

Mais: Venda de veículos importados cai 22,6% em maio, aponta Abeiva

Na segunda-feira (17), Ghosn se reuniu com um grupo de empresários na Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep) e não quis comentar a assinatura do protocolo, que já foi confirmada pelo governo estadual do Rio. A negativa de Ghosn contradiz uma publicação do governo fluminense que cita a criação do grupo GT Veículos Elétricos, que avalia uma área propícia para a instalação da fábrica, além das indicações divulgadas pela secretaria. Os investimentos na futura unidade devem girar em torno de R$ 400 milhões. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.