Tamanho do texto

A nova geração considera três novos aviões: E175-E2, E190-E2 e E195-E2. O primeiro entra em serviço no primeiro semestre de 2018, sendo que o segundo começa a operar em 2019

Reuters

Empresa estima uma demanda por 6.400 aviões comerciais com até 130 assentos nos próximos 20 anos
Getty Images
Empresa estima uma demanda por 6.400 aviões comerciais com até 130 assentos nos próximos 20 anos

A fabricante brasileira Embraer disse durante a Paris Airshow, nesta segunda-feira, que planeja investir US$ 1,7 bilhão nos próximos oito anos na segunda geração de sua família de aviões comerciais.

Veja também: Venezuela comprará mais aviões da Embraer, afirma Nicolás Maduro

A terceira maior fabricante de aviões do mundo estimou uma demanda por 6.400 aviões comerciais com até 130 assentos nos próximos 20 anos.

A nova geração considera três novos aviões: E175-E2, E190-E2 e E195-E2. O primeiro entra em serviço no primeiro semestre de 2018, sendo que o segundo começa a operar em 2019 e o terceiro em 2020.

Veja também: Embraer vai renovar seus E-Jets até 2018

Em comunicado, a Embraer afirmou que o novo formato aerodinâmico da asa, aprimoramento de sistemas e aviônicos e novos motores resultarão em reduções de dois dígitos no consumo de combustível do avião.

Com mais de 1.200 encomendas de E-Jets, a Embraer detém 42% do mercado nesse segmento. Mais de 950 E-Jets foram entregues até o momento para 65 clientes de 47 países.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.