Tamanho do texto

A Perto criou uma solução que pode ajudar a impulsionar a adesão no Metrô e ônibus

Terminais em operação no Metrô Rio
Divulgação
Terminais em operação no Metrô Rio

Os terminais 'recicladores', que reutilizam as cédulas colocadas na máquina por cada usuário, pode disseminar o uso de terminais que dão troco para o usuário que recarregam seu bilhete em estações de Metrô e ônibus, bem como estacionamentos. 

A funcionalidade de troco está no mercado há dois anos, mas a Perto conseguiu reduzir a necessidade de manutenção e, consequentemente, diminuir os custos em cerca de 40% para empresas que optam por oferecer a comodidade aos usuários e clientes.

Leia também: Caixas eletrônicos são monitorados e recebem paredes reforçadas

A Paystation Reciclador foi lançada no início do ano. "Porém, ela só vale para operações menores. A capacidade da máquina é de 'reciclar' mil notas. É possível fazer com que reciclem três tipos de notas", diz o coordenador de projetos da Perto, Eduardo Vargas. 

O uso destes terminais também ajudam a diminuir a necessidade de idas e vindas de carros fortes, que também pode significar diluição de riscos no caso de bancos.

Hoje, o terminal está em fase de testes na Estação Paulista da Linha 4-Amarela do Metrô de São Paulo. Hoje, outras estações, como a República, oferecem apenas terminais que aceitam cartões de débito ou não dão troco no caso de recargas.

"Serão mais três meses de teste para o Metrô definir se irá utilizar os terminais por mais tempo", diz Vargas. A solução já existe no Metrô Rio e é também oferecida pela empresa Rio Card. 

A Itautec também tem um terminal reciclador que pode ter maior capacidade de reciclagem. A ressalva é que haja homogeneidade entre saques e retiradas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.