Tamanho do texto

Ministério Público do Trabalho constatou excessivo número de afastamentos previdenciários de trabalhadores por doenças psicológicas e lesões por esforço repetitivo

Empresa se comprometeu a conceder duas pausas de dez minutos e a realizar ginástica laboral
Divulgação
Empresa se comprometeu a conceder duas pausas de dez minutos e a realizar ginástica laboral

A fabricante de calçados Vulcabras, dona das marcas Olympikus e Azaleia, vai pagar R$ 500 mil por dano moral coletivo, após investigações do Ministério Público do Trabalho (MPT) constatarem excessivo número de afastamentos previdenciários de trabalhadores por doenças psicológicas e lesões por esforço repetitivo.

De acordo com nota publicada no site do MPT, as doenças são provocadas pela falta de medidas preventivas ergonômicas, organização de trabalho inadequada e casos de assédio moral nas unidades dos municípios de Frei Paulo, Ribeirópolis, Carira e Lagarto, em Sergipe.

Muitas dessas irregularidades foram reconhecidas em sentenças da Justiça do Trabalho, em ações trabalhistas individuais.

No acordo, a empresa se comprometeu a executar projeto de alternâncias posturais, conceder duas pausas de dez minutos, realizar ginástica laboral, disponibilizar assentos adequados, aumentar o número de empregados na linha de produção, ampliar os serviços de medicina e engenharia de segurança do trabalho, treinar empregados para prestar atendimento de primeiros socorros, entre outras ações.

Em caso de descumprimento, a companhia pagará multa de R$ 10 mil por infração.

Procurada, a empresa ainda não se manifestou.