Tamanho do texto

Montadora japonesa pretende transformar o Infiniti em uma grande marca global de luxo com produção na Europa e na China

Reuters

A Infiniti, divisão de luxo da Nissan, espera que o mercado global de automóveis de luxo cresça 8 por cento no próximo ano, na medida em que uma forte demanda nos Estados Unidos compensa as vendas estáveis na Europa Ocidental, disse o diretor da marca, Joahn de Nysschen.

De Nysschen disse antes de um anúncio nesta terça-feira que os modelos Infiniti devem ser rebatizados, já que a companhia busca uma participação de mercado maior nas vendas de carros de luxos na Europa e na China.

A montadora japonesa pretende transformar o Infiniti em uma grande marca global de luxo com produção na Europa e na China, apoiados em uma extensa variedade de modelos e motores, alguns desenvolvidos em parceria com a Daimler e pela aliança Renault-Nissan.

O presidente-executivo da Nissan, Carlos Ghosn, que também preside a controladora francesa Renault, prometeu produzir o Infiniti na China e um novo sedã de luxo na Europa.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.