Tamanho do texto

Empresas brasileiras estão há mais de 90 dias sem receber por exportações feitas ao país

A embaixada venezuelana no Brasil, ao receber a denúncia de que exportadores não estão recebendo pelas vendas àquele país, se defendeu das acusações e afirmou que não há qualquer problema em curso.

Como publicado no BRASIL ECONÔMICO de sexta-feira, empresas brasileiras estão com os pagamentos retidos pela Comissão de Administração de Divisas (Cadivi). Alguns setores, como o de carnes e autopeças, possuem pendências superiores a 90 dias e valores acima de US$ 30 milhões.

Em carta enviada ao jornal, “a Embaixada da República Bolivariana da Venezuela informa que, até o momento, não tem conhecimento sobre casos de exportadores brasileiros dos setores de carnes e autopeças que não tenham recebido pelas vendas feitas aos importadores venezuelanos”.

Apesar do desconhecimento, afirma que exportadores podem procurar a embaixada, caso tenham problemas com o pagamento. Porém, quanto ao Cadivi, a responsabilidade em atender às normas locais é do importador venezuelano. “Vale destacar que o processo de importação é executado por um importador venezuelano, que é quem realiza os trâmites correspondentes diante das instituições venezuelanas para a geração de certificados e/ou licenças, autorização e liquidação de divisas.”

O alto-representante do Mercosul, Ivan Ramalho, ao tomar conhecimento das denúncias pediu tempo para apurar os problemas. Segundo ele, que foi secretário-executivo do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), não há reclamações feitas diretamente ao Mercosul. “Ainda não temos conhecimento de problemas enfrentados por brasileiros. Precisamos de tempo para apurar se há pendências de pagamento”, disse.

Leia mais notícias de economia, política e negócios no jornal Brasil Econômico

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.