Tamanho do texto

Popularidade leva heróis dos quadrinhos para móveis e objetos de decoração

Não é só nos gibis e nos cinemas que Batman e Super Homem fazem sucesso. “Podemos dizer que vivemos em uma época em que super heróis são um verdadeiro fenômeno. Por isso é de se esperar que exista cada vez mais procura por produtos com as caras e marcas desses personagens”, afirmou ao BRASIL ECONÔMICO Marcos Bandeira de Mello, gerente-geral da Warner Bros no Brasil.

O que o executivo fala não é apenas uma previsão do futuro. Produtos com alguma relação com super heróis são cada vez mais comuns e não se limitam mais às camisetas da seção infantil de grandes lojas de roupa ou às mochilas e cadernos mais vendidas na época de volta às aulas. Um contrato de licenciamento firmado recentemente entre a Warner e a Urban, fabricante de itens de decoração e presente, colocou no mercado itens como carteiras com o rosto da Mulher Maravilha, relógios do Curinga e até mesmo uma mesa de centro forrada com quadrinhos de Batman e Robin. “A ideia é atrair o público adulto, que vá além do colecionador de itens ligados a esses personagens”, diz Mello.

MaisTime Warner compra site americano de conteúdo esportivo

Ao todo, a linha da Urban com os desenhos da Warner possui mais de 120 itens, entre artigos de papelaria, de uso pessoal e de decoração. “No final, a linha acabou ficando muito maior do que imaginávamos. Nunca tivemos uma gama tão grande de produtos desse tipo.”

O contrato entre as duas empresas terá duração de três anos. O executivo não revela as metas de comercialização estabelecidas, mas demonstra confiança no sucesso dos produtos, que começaram a chegar ao varejo há pouco mais de um mês. “A recepção inicial já mostra claramente que as metas registradas no contrato vão ser batidas facilmente”, afirma. A partir de fevereiro, a distribuição deve ser ampliada.

A Warner também fechou uma parceria com a Custom4U para criar capas de celular com os personagens da empresa. “Como é um produto mais fácil de ser copiado, essa linha terá renovação constante”, diz Mello. Entre as possibilidades em estudo está a criação de capas baseadas no filme Casablanca. “Já entramos com pedido de autorização junto à matriz.”

A escolha por intensificar os esforços no setor de licenciamento de produtos para adultos, não é merca casualidade. Estima-se que o nicho seja um dos que mais cresce no país. No ano passado, esse tipo de produto teria representado 10% dos R$ 5 bilhões movimentados pelos contratos no Brasil. Nos EUA, eles são responsáveis por 30% das receitas do setor.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.