Tamanho do texto

Segundo CEO da empresa, José Carlos Grubisich, 90% da produção de celulose serão destinados ao mercado externo; fábrica tem capacidade de produzir 1,5 milhão de toneladas de celulose por ano

A Eldorado Brasil mal inaugurou oficialmente sua fábrica de celulose em Três Lagoas (MS), a maior em linha única do mundo, e já prevê alcançar faturamento de R$ 2 bilhões em 2013, graças à estratégia de apostar em contratos de longo prazo firmados com os mercados asiáticos – em especial com China e Turquia -, Estados Unidos, Canadá e Europa. Segundo o CEO da empresa, José Carlos Grubisich, a demanda global crescente pelo produto, na casa de 1,5 milhão de toneladas por ano – exatamente a capacidade da planta sul-matogrossense -, viabiliza o projeto de construir mais duas unidades produtivas da empresa.

“Em termos de mercado, a nossa avaliação a partir da relação com clientes é uma visão otimista em relação ao setor de celulose e papel. O segmento de papel da fins sanitários tem crescido no mercado global graças à urbanização de países com população grande”, como China e Índia, afirmou Grubisich na inauguração oficial da planta de Três Lagoas, nesta quarta-feira. O CEO da empresa afirma que o mercado da variedade tissue, usada para fabricação de papel higiênico, papel toalha, está em crescimento, e isso vai beneficiar a planta da Eldorado, que tem como base a celulose de fibra curta, feita à base de eucalipto.

Eldorado: fábrica de celulose em Três Lagoas (MS) é a maior em linha única do mundo
Divulgação
Eldorado: fábrica de celulose em Três Lagoas (MS) é a maior em linha única do mundo

“Na China, o mercado de tissue cresce mais de 10% ao ano, na Turquia também. É uma mistura de renda e urbanização”, afirma. Há também demanda por papel impresso, aquele usado no revestimento de móveis, paredes, por exemplo, em substituição à madeira e ao papel. “Com isso, estimamos uma demanda de 1 milhão a 1,5 milhão de toneladas de celulose por ano. É uma fábrica como essa a cada ano ou ano e meio. É um mercado extremamente atrativo”, completa Grubisich.

- Investimentos de R$ 12 bilhões transformam a pequena Três Lagoas

Com 90% de sua produção voltada ao exterior, a Eldorado investe nos contratos de longo prazo, de um a três anos, com 90% de seus clientes. Isso faz com que o CEO da Eldorado Brasil estime um faturamento na ordem de US$ 1 bilhão (aproximadamente R$ 2 bilhões) já para 2013. “Até o final do mês, já faremos embarques de celulose para a Ásia, depois para os Estados Unidos e para a Europa”, explica.

Em termos de volume, a estimativa é que a empresa feche o próximo ano com um total de 1,3 milhão de toneladas de celulose produzidas, número que deve passar para 1,7 milhão de toneladas em 2015. A meta da Eldorado, porém, é alcançar 5 milhões de toneladas de celulose por ano, algo que deve ser viabilizado com a construção de duas unidades produtivas no sítio de Três Lagoas.

A segunda deve começar a ser planejada em 2014, com construção prevista para 2015-16 e início de produção em 2017. Já a terceira unidade fabril estará pronta até 2021. “Queremos ser líder mundial da indústria de celulose até o final da década”, afirma Grubisich. “Prevemos entre R$ 10 bilhões e R$ 13 bilhões em investimentos adicionais para executar esse programa”, afirma.

Para tornar Três Lagoas a capital mundial da celulose, a Eldorado investiu um total de R$ 6,2 bilhões na primeira fábrica, sendo R$ 4,5 bilhões para erguer a planta, R$ 800 milhões em logística e R$ 900 milhões em composição de florestas próprias de eucalipto. O investimento em logística incluiu a integração de transportes fluviais e ferroviários aos portos.

A fábrica, que tem 2.500 funcionários, é autossuficiente em energia, e gera aproximadamente 220 megawatts a partir de resíduo derivado da madeira. Sozinha, poderia suprir o consumo energético de cidades como Campinas (SP) e Curitiba (PR). Além disso, Grubisich assegura que a Eldorado já tem assegurado todo o fornecimento de madeira necessário para produzir as 1,5 milhão de toneladas de celulose, graças à floresta de 110 mil hectares que a empresa plantou em Três Lagoas. Mesmo assim, a empresa tem planos de plantar mais 50 mil hectares de floresta em 2013.

Um viveiro em Andradina (SP) garante, anualmente, uma entrega de 30 a 35 milhões de mudas de eucalipto para serem plantadas na cidade vizinha, e a Eldorado tem planos de instalar uma estrutura similar ao lado da fábrica de Três Lagoas, com capacidade para gerar outras 30 milhões de plantas.