Tamanho do texto

Technogym espera atingir receita de R$ 70 milhões com nova linha de montagem em Barra do Piraí (RJ)

A Technogym, fabricante de serviços e equipamentos de ginástica, está disposta a dar um rosto brasileiro para o seu corpo europeu. E para atingir esse objetivo, a empresa de origem italiana vai inaugurar sua primeira unidade no país.

“Acreditamos que o mercado brasileiro tem um dos maiores potenciais do planeta”, destaca Nerio Alessandri, presidente mundial e fundador da companhia. “O Brasil é o segundo país neste segmento, perdendo apenas para os Estados Unidos. São mais de 18 mil academias e ainda há espaço para crescer”, completa.

Sem informar o valor do investimento, o executivo conta que a inauguração do centro de montagem, localizado na Barra do Piraí, no estado do Rio de Janeiro, está prevista para 2013. “Queremos ficar perto do cliente e principalmente reduzir o tempo de entrega que antes podia levar até 120 dias, o que era inaceitável”, completa Paolo Guidi presidente da companhia para o Brasil. Por aqui, o setor de fitness cresce anualmente entre 20% a 25%.

Com a nova unidade fabril, Alessandri, estima que o Brasil vai encerrar 2013 com um faturamento em R$ 70 milhões. “O país deve representar cerca de 8% da receita da companhia nesse primeiro ano e esperamos um crescimento ao longo dos anos”, estima. Em 2012, o faturamento da Technogym deve ficar em US$ 600 milhões, com o Brasil participando com 2%.

Novos negócios

Presente no Brasil há mais de 10 anos, a Technogym tem como clientes grandes academias como Bioritmo, SmartFit, Bodytech, Formula, Cia. Athletica, Runner, além de hotéis, empresas e times de futebol como Vasco da Gama, Flamengo, Botafogo e Atlético Mineiro.

De acordo com o presidente mundial da companhia, a empresa está voltada para uma nova estratégia, deixando de focar apenas no mercado de fitness e olhando agora para o segmento de bem estar.

“O interesse pelo segmento de fitness é de 2% a 3%, enquanto o de bem estar é 20% a 30%. Sem dúvida, no cenário atual, o segmento de bem estar representa uma tendência em negócios mundiais e uma grande oportunidade social” “É uma chance de os governos investirem em prevenção e reduzir os custos de saúde pública, para as empresas investirem em funcionários mais produtivos e motivados e para que as pessoas tenham uma vida melhor”, complementa.

Alessandri ainda revela que no próximo ano, a empresa irá aumentar sua parcela no atendimento a hospitais, centros de reabilitação, hotéis, condomínios residenciais e clientes corporativos como escritórios, indústrias e associações. “Nossa intenção é crescer em todos os segmentos, principalmente no de academia corporativa, atividade que tem crescido no Brasil e que já está presente em diversas empresas.”

De acordo com o executivo da Technogym, mesmo com a crise na Europa, os negócios da empresa continuam firmes em todo o mundo. “A Europa é responsável por 50% das vendas, seguido por Ásia (20%), Américas (20%) e África e Oriente (10%)."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.