Tamanho do texto

Histórico de sucesso da operação brasileira tem permitido à companhia ampliar interferência na sociedade

Cerca de uma década depois de ter intensificado no Brasil suas ações de sustentabilidade, a operação brasileira da Unilever é vista hoje nessa área como referência mundial dentro da gigante multinacional de bens de consumo. Essa evolução conferiu também à companhia força suficiente para interferir em seu entorno em benefício de uma sociedade que se torne mais e mais sustentável. Seja por meio da qualificação de fornecedores ou da possibilidade de incentivar que o governo faça escolhas sustentáveis em suas compras (em vez de focar suas escolhas somente em preço), a Unilever não para de ampliar a lista de novas metas a serem alcançadas nessa seara.

“Nós atuamos nas mais diversas frentes e, com o tempo, vamos nos aprimorando e ampliando nossas ações em cada uma delas”, diz Juliana Nunes, diretora de Assuntos Corporativos e Sustentabilidade. “Mas desde a década de 1990 relacionamos os temas de saúde, segurança e meio ambiente às atividades da empresa e à sustentabilidade”.

MaisUnilever tem vendas acima do esperado apoiada em emergentes

Como consequência desse histórico, em 2010, a Unilever promoveu uma mudança definitiva no seu modelo de negócios. Com o anúncio do Plano Global de Sustentabilidade, a companhia estabeleceu como principal objetivo para 2020 dobrar o tamanho das vendas, ao mesmo tempo em que reduz o impacto ambiental. Entre as metas estabelecidas estão: alcançar o nível de suprimento de 100% sustentável de matérias-primas agrícolas; reduzir pela metade da pegada ambiental de fabricação e utilização de seus produtos e ajudar mais de 1 bilhão de pessoas a tomar iniciativas para melhorar sua saúde e bem-estar.

Chegar a esses objetivos, contudo, envolveu superar vários outros desafios anteriores e, a partir deles, construir essas novas metas. “Nós crescemos e nos tornamos referência. São poucas operações da Unilever em outros países que têm um relatório de sustentabilidade local como o que fazemos no Brasil”, diz Juliana.

TambémUnilever reduzirá embalagens para consumidor europeu

Um exemplo é o esforço para desenvolver parcerias com fornecedores para garantir a sustentabilidade na cadeia, como a reutilização de insumos e materiais sustentáveis para embalagens. Essa ação teve início na década de 1990. Atualmente, 100% da soja usada como matéria-prima em produtos da Unilever é produzida de forma sustentável. Além disso, 100% do óleo de palma comprado no país é adquirido de fonte sustentável certificada, e 100% do papel e papelão utilizados em nossas embalagens provêm de florestas manejadas de forma sustentável e certificadas pelos selos FSC ou PEFC.

Outra iniciativa que cresceu em poucos anos foi a parceria com a ong Integrare. Em 2007, a companhia iniciou um programa para garantir a participação de microempresas nos processos de concorrência, por meio da ong, que capacita e articula negócios entre grandes empresas e fornecedores pertencentes a minorias socioeconômicas. No ano de 2011, o valor de negócios entre a Unilever e as empresas fornecedoras credenciadas no Integrare foi de R$ 4,86 milhões, 14% acima da meta estabelecida para o ano. O valor representa mais que o dobro do que foi comercializado em 2009 (R$ 2,04 milhões).

E aindaJuíza condena Unilever por dificultar aposentadoria por insalubridade

Ao longo desses anos, a Unilever investiu R$ 30 milhões na tecnologia dos detergentes líquidos concentrados e, como resultado, é hoje líder da categoria de líquidos no mercado brasileiro. A Unilever está completando 83 anos de atuação no Brasil. Seus produtos atingem, mensalmente, 46 milhões de domicílios no país.

Com mais de 13 mil funcionários, a Unilever Brasil encerrou o ano de 2011 com faturamento bruto de R$ 12,1 bilhões — o que a mantém como a segunda maior operação da companhia no mundo — atrás somente dos Estados Unidos. Além disso, é a segunda maior anunciante do país (atrás apenas da Casas Bahia), com investimentos de R$ 2,6 bilhões em propaganda, também em 2011.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.