Tamanho do texto

Empresa afirma que protocolou estudo comprovando a viabilidade da promoção sem sobrecarga da rede

O ano de 2012 será um período para a TIM esquecer. Depois de denúncias de fraude durante a gestão do presidente Luca Luciani, que renunciou em maio, em meio a investigações sobre fraudes na ativação de chips, a companhia teve sua promoção Infinity Day suspensa pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), na última quarta-feira. “A decisão da Anatel foi prematura, pois não se baseia em dados”, afirmou ao BRASIL ECONÔMICO Mario Girasole, vice-presidente de assuntos regulatórios da TIM.

De acordo com o executivo, não há norma estabelecendo que a Anatel tenha que fazer análise prévia de promoções. “A empresa deve comunicar a promoção, como fizemos no dia 9, com a carta e a divulgação na grande mídia”, explica. Ele alega que a TIM protocolou um estudo de 60 páginas, com a projeção do tráfego, onde mostrava que a promoção não superaria 60% da capacidade da rede.A promoção contemplaria 20% de sua base, ou 12 milhões de clientes. “Mais de um terço da rede ficaria sem utilização.”

Fontes junto à Anatel afirmam que a suspensão das vendas das operadoras em julho, quando a TIM foi a mais afetada, proibida de vender chips em 19 estados, foi uma ação drástica da agência, na tentativa de organizar o mercado. “Por isso, a medida cautelar dessa semana foi tomada, com o intuito de prevenir problemas maiores e garantir a manutenção da qualidade do serviço aos usuários” afirmou uma fonte.

Outra fonte explica que a realização de uma promoção em grande escala, apenas três meses após a determinação da agência sobre as melhorias na infraestrutura das operadoras é algo ruim, já que as empresas ainda buscam resolver os problemas apontados em julho.

Acrescenta também que nesse mesmo período, apesar de algumas melhorias realizadas pelas empresas, as reclamações de usuários continuam altas.

Em agosto, a TIM foi acusada pelo Ministério Público do Paraná de derrubar propositalmente as chamadas de clientes do plano Infinity, que pagam apenas por chamada efetuada e não pela duração das ligações.

A sucessão de denúncias e os casos de suspensão de serviços tiveram forte impacto sobre a imagem da TIM. Cabe ao atual presidente da companhia no Brasil, Andrea Magoni, no cargo desde julho, coordenar o plano de investimentos em infraestrutura enviado à Anatel e recuperar a imagem da empresa no mercado.

Na sexta-feira, as ações da operadora na BM&F Bovespa recuaram 5,11% em relação ao dia 14, caindo de R$ 8,02 para R$ 7,61. “Não é culpa deles a suspensão do serviço, determinada pela Anatel, mas a sucessão de notícias negativas denigre a imagem no mercado e comprometem a credibilidade com os consumidores”, explica Marceli Passoni, analista da Informa Telecom & Media.

Para Marceli, promoções como a da TIM são boas ao popularizar o acesso a internet móvel, “mas sobrecarregam a rede e comprometem o serviço prestado aos demais clientes”. Segundo ela, a TIM ficou para trás na infraestrutura e qualidade do 3G, mas mesmo assim, a promoção Infinity Day teve grande adesão de usuários.

Leia mais notícias de economia, política e negócios no jornal Brasil Econômico

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.