Tamanho do texto

Companhia lança o SCE+ e mira nos grandes players para continuar crescendo no Brasil

Brasil Econômico

Com os olhos voltados para o mercado de cloud computing, que também cresce por aqui, a IBM lança mais uma ferramenta para seus clientes brasileiros. Trata-se do SmartCloud Enterprise Plus (SCE+), um serviço de cloud privado compartilhado, voltado principalmente para empresas de grande porte.

A novidade é resultado, em parte, dos investimentos de US$ 3 bilhões que a companhia fez em pesquisa & desenvolvimento de novas ferramentas. “Esse é um mercado com muito potencial.”

“Nossa meta é chegar a US$ 7 bilhões de receita global em cloud até 2015”, explica Gustavo Annarumma, leader de cloud computing da IBM para a América Latina.

A nova ferramenta oferece infraestrutura de tecnologia para gestão dos diversos setores de uma companhia de forma integrada, com o apoio da IBM. “Administramos o ambiente e assim as empresas podem direcionar o tempo, custo e mão de obra que seriam usados no gerenciamento da nuvem, para outras prioridades do negócio”, explica José Luis Spagnuolo, diretor de Cloud Computing da IBM Brasil.

De acordo com Spagnuolo, o SCE+ atende às necessidades de empresas de grande porte, já que permite à administração, fazer o levantamento dos custos de uso e armazenagem de dados em nuvem utilizado por departamento e deixar a gestão dos dados para IBM. “É voltado para empresas que precisem de cerca 15 máquinas virtuais, o que deve significar investimento de R$ 20 mil mensais, aproximadamente”, diz.

Já o SCE, ferramenta da companhia que está há mais tempo no mercado, é indicado para empresas de menor porte, já que além do custo bastante reduzido e do formato de cobrança do uso por hora, exige que um funcionário faça todo o monitoramento e abasteça o sistema. “Nesse caso, oferecemos a solução de gestão, mas a administração dos dados fica com o cliente”, explica o executivo.

Para fazer a armazenagem dos dados de seus clientes, a IBM investiu R$ 40 milhões na ampliação do data center em Hortolândia (SP), antes de lançar o SCE+. Além da unidade do interior paulista, a companhia conta com outros cinco no Japão, Estados Unidos, Alemanha, França e Canadá. “Novos centros virão em breve”, indica Annarumma.

De acordo com o executivo, a unidade de Hortolândia tem capacidade infinita, já que os investimentos na ampliação vão sendo feitos de acordo com o crescimento da demanda.

Como parte de seu plano de expansão e ciente da crescente demanda do mercado, a IBM, em parceria com a SAP, anunciou em julho o lançamento de um serviço de outsourcing voltado para bancos de pequeno e médio porte. “Com ele, as empresas podem se concentrar em sua atividade principal e deixar a segurança e gestão da informação conosco”, diz Spagnuolo.

Para se ter uma ideia do potencial desse mercado, levantamento do IDC aponta que os serviços em nuvem pública, devem movimentar US$ 100 bilhões até 2016 no mundo e US$ 40 bilhões até o final deste ano.

Leia mais notícias de economia, política e negócios no jornal Brasil Econômico