Tamanho do texto

Michel Lacoste busca destituir a filha Sophie do comando da companhia e ofereceu sua participação de 30% no negócio à empresa suíça Maus Frères

Uma briga familiar no topo da grife de roupas Lacoste está colocando pai contra a filha em uma batalha para a gestão da marca cujo símbolo é um crocodilo verde.

Michel Lacoste, de  69 anos, decidiu buscar uma decisão judicial contra a nomeação de Sophie Lacoste-Dournel como presidente executivo e do conselho da companhia, o que ele disse ao jornal Le Monde se tratar de umadecisão "irregular".

Lacoste disse ao jornal francês Le Monde que sua filha de 36 anos, que estudou administração e adora teatro, "não passou de um dia de sua vida em um negócio e não é capaz de gerir uma empresa de sucesso."

Michel Lacoste: disputa com a filha Sophie pelo comando da companhia francesa
Getty Images
Michel Lacoste: disputa com a filha Sophie pelo comando da companhia francesa

Em represália à manobra que levou Sophie Lacoste, sua filha, ao comando da companhia, Michel Lacoste ofereceu sua participação na empresa, 30,3%, à suíça Maus Frères. A Maus já concordou em comprar essa fatia. Caso isso aconteça, a empresa passará a controlar a Lacoste, pois já detém uma fatia de 35% da grife, por meio de uma controlada – a Devanlay.

Ele prefere que sua sobrinha, Beryl Lacoste-Hamilton, de 56 anos, assuma o cargo.

O grupo Lacoste se recusou a comentar sobre o assunto, quando contactado pela AFP.

Sophie Lacoste-Dournel foi nomeada nesta segunda-feira.

Ela disse em um comunicado que "ao depositarem a sua confiança nela, os acionistas da Lacoste e membros do conselho de administração validaram um projeto para a empresa."

A nova executivo também expressou "grande orgulho por ter sido escolhida para liderar o processo de transição de gerações", e ser a " defensora dos valores da família, com respeito aos acionistas, a empresa, seus funcionários e parceiros."

A família Lacoste detém 65% do capital da varejista de roupas e tem cinco votos no Conselho, que também inclui três membros independentes, um dos quais era Patrick Thomas, diretor da empresa de bens de luxo Hermes.

Lacoste disse ao Le Monde que estava "triste com a fraqueza e incompetência dos acionistas da família que foram seduzidos por miragens".

Ele foi nomeado executivo-chefe da empresa em 2005, substituindo seu irmão Bernard, e permaneceu como presidente do conselho até 2008, quando Christophe Chenut foi escolhido para dirigir a companhia.

A Lacoste foi fundada em 1933 pelo tenista René Lacoste, e registrou em 2011 vendas totais de 1,6 bilhão de euros (US$ 2,1 bilhões). (Com AFP)