Tamanho do texto

Entre as alternativas está a própria empresa aplicar mais recursos no plano ou a entrada de um investidor estratégico

Reuters

A Klabin, maior produtora de embalagens do país, está "indo bem" em suas negociações com investidores financeiros para a programada fábrica de celulose no Paraná, mas está avaliando alternativas de financiamento para ser capaz de complementar o montante a ser aplicado no projeto, afirmou o diretor-geral da empresa, Fabio Schvartsman.

Entre essas alternativas está a própria empresa aplicar mais recursos no plano ou a entrada de um investidor estratégico - que se interessaria, além do retorno financeiro, pelos negócios que o projeto pode propiciar.

Segundo o executivo, a Klabin já obteve licença prévia ambiental para o projeto e aguarda a definitiva para poder iniciar as obras. A fábrica foi anunciado mais cedo no ano e deve contar com investimentos de quase R$7 bilhões.

"Acreditamos que a melhor montagem para a Klabin para este projeto é através de investidores financeiros... O levantamento de recursos com esses investidores continua indo bem, mas, por outro lado, não temos ainda a totalidade do que necessitamos", afirmou Schvartsman em teleconferência com analistas sobre os resultados do terceiro trimestre, nesta sexta-feira.

"Em primeiro lugar (queremos) é completar esse projeto, e em segundo a Klabin deveria avaliar colocar um pouco mais de recursos próprios se necessário para fechar a conta. A terceira possibilidade seria de buscar um investidor estratégico", afirmou o executivo.

"Você trazer um investidor estratégico para participar desta operação é uma solução pior que as outras duas, não obstante nós sempre somos realistas", disse.