Tamanho do texto

Empresa tenta interromper queda de lucros, em um momento em que os consumidores europeus suspendem a compra de equipamentos eletrônicos por causa da crise europeia

A alemã Siemens pode indicar cortes de empregos e o fechamento de escritórios para interromper a queda de lucros, em um momento em que os consumidores europeus suspendem a compra de equipamentos eletrônicos por causa da crise no continente.

A estratégia do presidente-executivo da companhia Peter Loescher de impulsionar o crescimento não funcionou e analisas esperam que ele apresente um novo plano com economia de até 4 bilhões de euros (US$ 5,2 bilhões).

MaisSiemens estuda demitir mais de 10 mil

A Alemanha, maior economia da Europa, tem sido resistente à crise na zona do euro, mas uma desaceleração no crescimento da receita no quarto trimestre fiscal da Siemens mostra que a crise afetou a demanda de produtos do país.

"Está óbvio que uma diferença de margem entre a Siemens e seus concorrentes se abriu de novo", disse o analista Michael Hagmann, do HSBC.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.