Tamanho do texto

Ganho líquido da empresa atingiu 286,4 milhões de euros nos seis meses até julho

Reuters

A grife italiana Prada negou a ocorrência de uma forte desaceleração nos gastos dos consumidores com artigos de luxo e divulgou um crescimento de 59,5% em seu lucro líquido, afirmando que as vendas nos últimos dois meses vierem em linha com suas expectativas.

"Eu acho que temos que manter a calma e ser menos histéricos. Eu não vejo um mercado tão dramático", disse o presidente-executivo da Prada, Patrizio Bertelli. A grife compete com marcas como Louis Vuitton e Gucci, entre outras.

Os comentários de Bertelli durante uma teleconferência com analistas foram feitos após a britânica Burberry ter afirmado, no último dia 11, que o crescimento de suas vendas na China foi muito mais lento que o esperado, assustando investidores sobre o mercado de luxo e aumentando preocupações de que o setor estivesse em perigo de tropeçar.

Mesmo assim, a Prada espera "um crescimento bom de dois dígitos" em 2012 nas lojas abertas a mais de um ano.

Perguntado sobre a Burberry, Bertelli se recusou a comentar sobre o concorrente, mas disse que a Prada se beneficiou de uma oferta "flexível" que foi sensível às condições em seus diferentes mercados.

O lucro líquido da Prada atingiu 286,4 milhões de euros (US$372 milhões) nos seis meses até julho, contra previsão média de 290,3 milhões de euros de seis analistas consultados pela Reuters.

A geração de caixa medida pelo Ebitda - sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação - cresceu 49% no semestre, para 469,4 milhões de euros. A margem Ebitda foi de 30%.