Tamanho do texto

Empresa produzirá peças para poços de perfuração de petróleo que começarão a ser entregues em 2013

A GE Oil & Gas assinou um contrato com a Petrobras, no valor de R$ 2,28 bilhões, para produção de cabeças de poço — uma espécie de rolha de vedação, atrelada a uma estrutura de gerenciamento da perfuração.

O contrato, segundo o presidente GE Oil & Gas no Brasil, João Geraldo Ferreira, é o maior da categoria já obtido pela empresa americana no mundo. O anúncio do contrato foi realizado ontem, durante a Rio Oil & Gas, evento que reúne companhias e especialistas do setor de petróleo no Rio de Janeiro.

Segundo o executivo, as entregas começam já em 2013. Mas ele não disse precisamente em que momento os primeiros equipamentos chegam à Petrobras.

Em 2009, a Petrobras já havia feito um contrato com a GE para fornecimento de cabeças de poço, no valor de R$ 250 milhões.

“As entregas começam a partir de 2013 e se seguem por um período de contrato de quatro anos. Cada pedido colocado pela Petrobras tem um perfil diferente.

O equipamento é o mesmo, porém customizado de acordo com perfil de cada poço de petróleo”, explicou o presidente da GE Oil & Gas para a América Latina, João Geraldo Ferreira.

Os equipamentos serão utilizados em campos de petróleo e gás da Petrobras em todo o país, tanto para o pré-sal quanto para os poços convencionais de exploração. Na fabricação das peças, 75% da composição é de conteúdo local. Mas o executivo da GE Oil & Gas diz que este percentual tende a aumentar ao longo do tempo de contrato com a Petrobras.

“O conteúdo local começa com 75% e vai aumentando ao longo dos anos. O restante dos itens que compõem o equipamento virão dos Estados Unidos. A unidade industrial de Jandira (SP) foi preparada para isso e, juntamente com o investimento físico, também trabalhamos a capacitação de pessoal. Estamos sempre pensando na qualificação da mão-de-obra e conseguimos fazer isso no Brasil”, acrescentou.

A GE Oil & Gas está negociando outros contratos com a Petrobras que em breve serão assinados, mas que João Geraldo Ferreira mantém em sigilo. Além disso, renovações de contratos estão em andamento e uma delas foi a anunciada ontem na Rio Oil & Gas. O Brasil, afirma João Geraldo Ferreira, é um dos mercados mais importantes para a GE , que já investiu no país US$ 30 milhões na unidade de Jandira para expansão e modernização das operações, além de US$ 200 milhões na fábrica instalada em Niterói, no Rio de Janeiro, para atender a novos campos do pré-sal.

Também foram investidos US$ 32 milhões nas instalações em Macaé, na região Norte do estado do Rio. Outro grande investimento será em um Centro de Pesquisas Global da GE no Brasil, com recursos de R$ 500 milhões, que ficará no Rio de Janeiro.

Leia mais notícias de economia, política e negócios no jornal Brasil Econômico