Tamanho do texto

A nova unidade, em Itatiaia, vai produzir 5 milhões de pneus por ano, em uma primeira fase, mas já há planos de expandir a produção

Com investimento de ¤ 300 milhões de euros, a Michelin inaugurou ontem a extensão de sua fábrica, na sua unidade industrial de Itatiaia, no Sul do estado do Rio de Janeiro. A nova linha será destinada à produção de pneus para carros de passeio e caminhonetes. Com ela, a capacidade de produção de pneus de carro no Brasil será ampliada em 3,5 vezes. A nova unidade vai produzir 5 milhões de pneus por ano, em uma primeira fase.

“A expansão marca uma nova fase da Michelin na América do Sul e no Brasil, em particular, pois complementa a produção da Colômbia”, afirmou o presidente mundial do Grupo Michelin Jean-Dominique Senard, durante a cerimônia de inauguração.

A nova linha é fundamental para que a Michelin atinja seu objetivo comercial de dobrar sua participação de mercado na América do Sul, nos próximos cinco anos. Atualmente, a companhia tem 7% do mercado e espera chegar a 14%. “O Brasil é o principal mercado”, disse César Moñux, diretor da nova fábrica. 50% da produção ficará no Brasil, mercado antes abastecido por importações de outras unidades do grupo.

A nova unidade produzirá principalmente a gama de pneus Michelin Energy XM2, que já cobre 96% do parque automotivo da América do Sul. “São pneus adaptados às estradas latino americanas e que geram menor consumo de gasolina”, explicou Moñux.

Segundo ele, já há planos para a construção de uma nova linha em Itatiaia. “Além disso, vamos ampliar em 30% a nossa fábrica em Campo Grande, bairro da Zona Oeste do Rio, até 2014”, ressaltou.

O investimento de ¤ 300 milhões no Brasil faz parte do montante de ¤ 1 bilhão investidos pela empresa de 2006 a 2012 para aumentar a capacidade de produção de pneus de carga e na fabricação de pneus para minas e terraplanagem, ambas na unidade de produção de Campo Grande, no Rio de Janeiro.

Paralelamente ao novo investimento industrial, a Michelin está acelerando expansão de sua rede de distribuição para atender à crescente demanda de seus clientes. “Atualmente, temos 350 revendedores autorizados. Nossa ideia é dobrar a rede, nos próximos cinco anos. Ou seja, chegar a 700”, adiantou Marco Moretto, diretor comercial de pneus de automóveis para a América do Sul.

Também participaram da inauguração Jean-Philippe Ollier, presidente da Michelin América do Sul; o governador do Rio, Sérgio Cabral; o vice governador, Luiz Fernando Pezão; o presidente da Firjan, Eduardo Eugênio; além de secretários de Estado do Rio.

Apesar de em um primeiro momento a nova linha se dedicada à fabricação de pneus para reposição,que hoje é a maior fatia de negócios da Michelin, Damian Destremeau, diretor geral de pneus de passeio, caminhonete e moto para a América do Sul, adiantou que a companhia está em negociação com praticamente todas as montadoras para fornecimento de pneus.

“Ainda não temos a homologação necessária para o fornecimento para OEA pela nova planta, mas já estamos em negociação com grandes como Volkswagen, Fiat, GM, Honda e Renault”, disse. “Já fornecemos para a PSA Peugeot, que é um dos nossos clientes privilegiados”, completou.

Leia mais notícias de economia, política e negócios no jornal Brasil Econômico