Tamanho do texto

Brand Finance América Latina destaca solidez das instituições financeiras nacionais e coloca ainda Itaú em 2º lugar, com R$ 26,8 bilhões, e Banco do Brasil em 3º , com R$ 14,8 bilhões

Agência Estado

O Bradesco é a marca mais valiosa do Brasil, pelo segundo ano consecutivo, segundo levantamento feito pela empresa Brand Finance América Latina, antecipado à Agência Estado. Foram analisadas ao todo 150 marcas do País e da América Latina, com o Brasil representando 84% do valor total, seguido por México, com 11 marcas que juntas somam R$ 39,8 bilhões no período analisado, de um ano até julho.

A marca Bradesco é a primeira do ranking, valendo R$ 31,9 bilhões conforme a metodologia da empresa inglesa; seguida por dois outros bancos: Itaú, com R$ 26,8 bilhões; e Banco do Brasil, R$ 14,8 bilhões. Em quarto lugar vem a Claro do México, com valor de marca avaliado em R$ 11,6 bilhões. Novamente, aparece um banco brasileiro, o Santander, com R$ 11,4 bilhões; e então o ranking segue com Petrobras na sexta posição, com valor de marca de R$ 11,2 bilhões; Walmart do Brasil, em sétimo lugar, R$ 9,5 bilhões; Vivo em oitavo, R$ 8,8 bilhões; Vale na nona posição, com marca avaliada em R$ 8 bilhões; e Fiat, em décimo, com R$ 7,9 bilhões.

"Mesmo com um crescimento menor em relação a 2011, fruto de novo cenário com quedas do Produto Interno Bruto (PIB), do crédito e redução das taxas de juros, os bancos brasileiros demonstraram solidez e melhora do desempenho de suas marcas perante seus públicos", afirma o CEO da Brand Finance América Latina, Gilson Nunes. 

O coordenador do estudo ressalta que, apesar da crise financeira internacional, o valor das 100 maiores marcas brasileiras cresceu 7%, índice superior ao do PIB, para R$ 330,8 bilhões em 2012.

Entretanto, o ritmo desacelerou, já que em 2011 esse universo de marcas teve crescimento de 17%. "Isso reflete as incertezas do cenário econômico nos últimos 12 meses; mas, ainda assim, as marcas apresentaram índices de evolução, já que são ativos estratégicos mais resistentes e duráveis em momentos de crise", diz Nunes.

A metodologia da Brand Finance envolve uma pesquisa de mercado quantitativa com 16,3 mil pessoas e o desempenho final é uma média ponderada da nota que os usuários de cada marca avaliaram no Índice de Força da Marca - sobre aspectos como preço, produto/serviços, comunicação/marketing, pós venda, canal de venda/atendimento, governança corporativa/responsabilidade socioambiental. A nota final é então calculada usando uma classificação de risco de marca.

Os critérios para selecionar as marcas incluem também valor de mercado da empresa, listada em bolsa; taxa de crescimento histórica e estimada das vendas; estrutura de capital ótima com custo do capital próprio e terceiros; taxa de desconto refletindo o risco da marca e taxa de royalty teórica da marca em seu setor. Nunes apresentará amanhã os detalhes do estudo "Marcas mais valiosas do Brasil e da América Latina em 2012", em evento na capital paulista. (Equipe AE)