Tamanho do texto

O grupo, segundo maior fabricante de eletrodomésticos depois da norte-americana Whirlpool, está sentindo o desaquecimento da economia, que está se espalhando dos países do sul em crise para outras regiões do continente

Reuters

O mercado europeu para os eletrodomésticos da Electrolux está sentindo o desaquecimento da economia, que está se espalhando dos países do sul em crise para outras regiões do continente, disse o presidente-executivo da fabricante sueca, nesta segunda-feira.

"A demanda na Europa Ocidental em particular tem sido fraca e continua a ficar mais fraca. A fraqueza do sul europeu está se espalhando para o centro e o norte da Europa. As regiões central e norte da Europa ainda estão crescendo, mas a um ritmo menor", disse Keith McLoughlin.

O grupo, segundo maior fabricante de eletrodomésticos depois da norte-americana Whirlpool, prevê que a demanda na América do Norte ficará mais próxima do piso de sua expectativa de entre estabilidade e queda de 2%.

"Precisamos começar a ter demanda muito boa para ficarmos dentro dessa faixa", acrescentou.