Tamanho do texto

Com investimento inicial de US$ 300 milhões, a unidade vai ser instalada em um terreno de 1 milhão de metros quadrados e produzir dois modelos comerciais

Agência Estado

Dez meses depois de a montadora chinesa JAC anunciar a construção de sua primeira fábrica no Brasil, em Camaçari (BA), na região metropolitana de Salvador, outra empresa automobilística da China prepara-se para desembarcar na Bahia - e, mais uma vez, em Camaçari, cidade que também conta com uma planta da Ford, onde são fabricados os modelos Fiesta e EcoSport.

Na sexta-feira, o governo baiano recebe os executivos da Foton Motors do Brasil, subsidiária da Foton Motor Group, maior fabricante chinesa de caminhões, liderada no Brasil pelo ex-presidente do BNDES Luiz Carlos Mendonça de Barros, para assinar o protocolo de intenções de instalação da fábrica no Estado.

Com investimento inicial de US$ 300 milhões, a unidade vai ser instalada em um terreno de 1 milhão de metros quadrados e produzir dois modelos comerciais - a expectativa é de que sejam montados um caminhão leve e um micro-ônibus.

A previsão é de que a fábrica comece a operar no fim do ano que vem - antes da unidade da JAC Motors, que tinha previsão de início de atividades para março de 2014, mas cujos planos foram suspensos até que o governo federal divulgue as regras do novo regime automotivo para as montadoras que pretendem se instalar no País.

Inicialmente, a Foton vai apenas montar os veículos com kits de peças fabricadas na China, sistema conhecido como CKD. A operação deve empregar mil pessoas até 2017. Segundo a Secretaria de Indústria, Comércio e Mineração do Estado (SICM), porém, os planos são de expansão gradual do conteúdo nacional nos modelos da Foton no País, chegando a 65% em 2017, quando a empresa espera produzir 30 mil veículos anuais na planta baiana.

O planejamento também prevê a instalação, em quatro anos, de 130 pontos de venda no País e investimentos adicionais de R$ 2 bilhões. Para o diretor executivo da Foton no Brasil, Osmar Hidalgo, a presença de fornecedores automotivos já instalados na região foi importante na decisão de fazer a fábrica na Bahia.

A escolha pelo Estado foi motivo de comemoração para o governo. “É mais um investimento que consolida a região como um dos mais importantes parques automobilísticos do País”, disse o secretário James Correia. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.