Tamanho do texto

Custo médio da energia para a indústria de alumínio no mundo é de US$ 35 por megawatt/hora enquanto no Brasil esse custo está atualmente entre US$ 55 e US$ 60 MW/h

Agência Estado

O presidente da Alcoa, Franklin Feder, disse que, apesar das medidas de redução do custo da energia que devem ser anunciadas nesta terça-feira pela presidente Dilma Rousseff, a companhia terá de negociar seus contratos novamente com a Eletronorte para obter esse desconto.

"Hoje é um dia histórico, de comemoração, mas o nosso trabalho na verdade começa hoje. Vamos negociar para tentarmos já aproveitar essa redução de custo em janeiro de 2013", disse o executivo ao chegar ao Palácio do Planalto.

De acordo com Feder, o custo médio da energia para a indústria de alumínio no mundo é de US$ 35,00 por megawatt/hora (MW/h) enquanto no Brasil esse custo está atualmente entre US$ 55,00 e US$ 60,00 MW/h tendo chegado já a um pico de US$ 82,00 MW/h.

"Com essa redução para a indústria, que pode chegar até 28%, poderemos nos aproximar da média mundial, mas mesmo assim existem países no Oriente Médio com preços equivalentes à metade dessa média. O diferencial é que o Brasil tem bauxita de boa qualidade."

Mesmo assim, Feder considerou ainda ser possível afirmar que essa redução no custo pode garantir o aumento dos investimentos no setor. "Nossa esperança é de que as medidas segurem no momento a produção atual no País."