Tamanho do texto

Menor demanda na China e a resultante queda nos preços das commodities já levaram ao cancelamento ou adiamento de quase US$15 bilhões em negócios

Reuters

A Peabody Energy adiou após um ano de negociações a venda de uma mina australiana por US$ 500 milhões por causa da menor demanda chinesa, disseram fontes, mesmo motivo que deve fazer a Vale desistir de vender um projeto de igual valor no país, segundo outras três pessoas.

A menor demanda na China e a resultante queda nos preços das commodities já levaram ao cancelamento ou adiamento de quase US$15 bilhões em negócios.

A Peabody desistiu de vender a mina de carvão termal de Wilkie Creek, em Queensland, após não ter conseguido atrair uma proposta interessante, segundo duas fontes familiarizadas com o assunto.

"Para Peabody não era uma questão de vida ou morte. Quando viu que as propostas não eram interessantes, concluiu que valia a pena esperar mais um pouco", afirmou uma fonte.

A tendência é que a desistência de negociações deste tipo cresça, uma vez que os preços de carvão, minério de ferro e outras matérias-primas atingiram mínimas de muitos anos e fizeram algumas mineradoras a cancelarem projetos de expansão.

Entre os negócios que também provavelmente serão descartados está a venda pela Vale da mina Integra, no Estado australiano de Nova Gales do Sul, e a venda de participação de US$2 bilhões da BG no projeto de gás natural liquefeito em Curtis, também na Austrália, disseram três outras fontes.

Um porta-voz da Vale se negou a comentar o assunto, e os respectivos representantes da Peabody e da BG não estavam imediatamente disponíveis.