Tamanho do texto

Em relatório, instituição elogia liderança global do grupo na produção de bebidas, destacando que mesmo com a estratégia de crescimento por meio de aquisições, a alavancagem da companhia permanece baixa

Apesar da alta no endividamento para conseguir assumir a totalidade do Grupo Modelo, a nota de crédito da Anheuser-Busch InBev foi mantida pela agência de classificação de risco Moody's, em A3. A perspectiva também permaneceu positiva.

AB InBev assume Grupo Modelo por US$ 20,1 bilhões

Em relatório, a instituição elogia a liderança global do grupo na produção de bebidas, bem como a forte posição nos mercados que mais consomem cerveja no mundo. Mesmo com a estratégia de crescimento por meio de aquisições, a alavancagem permanece baixa, destaca a Moddy's.

A agência lembra que, ao fim de 2011, a relação entre a dívida líquida da AB InBev e seu lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) era de 2,9 vezes.

Mesmo com as linhas de crédito contratadas principalmente para essa aquisição, em US$ 14 bilhões, ao fim deste ano a expectativa é que esse indicador de alavancagem caia a 2,6 vezes.

A própria empresa projeta uma redução para 2 vezes a partir de 2014. A manutenção do rating elevado, que coloca a empresa em grau de investimento para a Moody's tem a ver também com as sinergias esperadas com o negócio.

A expectativa da controladora da Ambev é que as economias cheguem a US$ 600 milhões. Para a Moody's, a integração com o Grupo Modelo será realizada sem problemas. "A adição das marcas líderes e de rápido crescimento do Modelo é positiva para o perfil de crédito [da AB InBev]", avaliou Linda Montag, vice-presidente sênior da agência, em nota.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.