Tamanho do texto

As vendas de carros ao Brasil caíram 14,2% em abril após um primeiro trimestre já marcado por uma ligeira baixa na demanda

Reuters

A Renault começou a reduzir o ritmo da fábrica na Argentina para se adaptar ao enfraquecimento do mercado automobilístico brasileiro, disse nesta quarta-feira uma porta-voz da montadora francesa.

"Estão previstos dias de parada na fábrica de Córdoba, o que se deve principalmente à acomodação da produção após queda temporária nas exportações para o Brasil", acrescentou ela.

Após dois dias de parada programada e uma meia jornada em junho, até o fim do ano deve haver outros dias sem produção, afirmou a representante, sem dar mais detalhes.

Um representante sindical na Argentina disse que cerca de 1,6 mil empregados da usina ficaram nove dias sem trabalhar.

A fábrica em Córdoba empregou em 2010 mais de 2 mil pessoas por uma produção de 48 mil veículos, basicamente Clio II e Kangoo. O Brasil, para onde a unidade exporta parte da produção, é desde o ano passado o segundo mercado da Renault depois da França.

As vendas de carros ao Brasil caíram 14,2% em abril após um primeiro trimestre já marcado por uma ligeira baixa na demanda.

A Renault acredita que esse recuo seja "pontual", e que o mercado brasileiro voltará a crescer a partir deste mês.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.