Tamanho do texto

Resultado foi puxado pelo desempenho das vendas orgânicas da empresa, que cresceram 15%, para US$ 4,5 bilhões, e pela estabilização dos preços do algodão

O lucro líquido da rede sueca de varejo de vestuário H&M cresceu 23% no segundo trimestre fiscal, encerrado em 31 de maio, para 5,22 bilhões de coroas suecas (US$ 745 milhões), na comparação com o mesmo período anterior. O lucro por ação ficou em 3,15 coroas suecas (US$ 0,14). "As coleções de primavera foram bem recebidas pelos nossos clientes", disse em comunicado Karl-Johan Persson, presidente da H&M.

O resultado foi puxado pelo desempenho das vendas orgânicas da empresa, que cresceram 15%, para 31,6 bilhões de coroas suecas (US$ 4,5 bilhões), e pela estabilização dos preços do algodão, informou a H&M em comunicado. No critério "mesmas lojas" (unidade abertas há mais 12 meses, além de comércio eletrônico e por catálogo), o aumento das vendas foi de 2%.

"Em geral, os efeitos de fatores externos antes significativamente negativos, como o preço de algodão, foram mais ou menos neutralizados. Além disso, para compras feitas para o segundo trimestre, o dólar americano estava relativamente neutro, mas se tornará negativo para as compras para o segundo semestre", apontou a H&M.

A companhia mantém o plano de abrir 275 lojas em 2012. As inaugurações incluem cinco novos mercados: Bulgária, México, Letônia, Malásia e Tailândia. Além disso, a empresa vai iniciar a venda online nos Estados Unidos. Fundada em 1947, a H&M Hennes & Mauritz está listada na bolsa de Estocolmo.

No ano fiscal 2011, as vendas da varejista somaram 128,8 bilhões de coroas suecas (US$ 18,4 bilhões). A empresa emprega aproximadamente 94 mil pessoas. Em 31 de maio de 2012, contava com 2.575 lojas. Um ano antes, eram 2.297 unidades. O grupo está presente em 44 países, incluindo atuação por meio de franquia.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.