Tamanho do texto

Ministro afirmou que há preocupação com efeitos do congelamento dos preços dos combustíveis para o caixa da petrolífera

O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, disse que há preocupação do governo com os efeitos do congelamento dos preços dos combustíveis para o caixa da Petrobras, alinhando a sua posição com a da presidente da estatal, Maria das Graças Foster, de que é possível reajustar os valores. Na semana anterior, Lobão havia negado esta hipótese.

LeiaPlano de investimento requer reajuste de combustível, diz Petrobras

"Temos a preocupação com a Petrobras, porque os preços não sobem há muito tempo. Mas tem que ser analisado com todo o cuidado para não complicar a inflação", disse Lobão, após participar do evento "Energias renováveis para o desenvolvimento sustentável", parte da Rio+20.

Veja maisPetrobras aprova investimentos de US$ 236,5 bilhões até 2016

Lobão reiterou ainda a possibilidade de o gerente-executivo da Petrobras, José Carlos Vilar Amigo, assumir a diretoria internacional da empresa, como havia informado mais cedo. "Essa é uma hipótese", ressaltou. E afirmou também que não há pressa em definir o destino das concessões do setor elétrico com vencimento a partir de 2015.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.