Tamanho do texto

Comissão Europeia se opunha a cláusula de não concorrência assinada pelas empresas como parte da joint-venture Areva NP, formada em 2001

Reguladores da União Europeia aceitaram nesta segunda-feira as concessões oferecidas pela alemã Siemens e pela francesa Areva por conta de uma investigação sobre uma já encerrada joint-venture no setor nuclear entre as duas empresas, colocando um fim à análise antitruste.

LeiaApós demissão, ex-CEO da Siemens pode abrir consultoria

A Comissão Europeia disse em dezembro do ano passado que uma cláusula de não concorrência assinada pelas empresas como parte da joint-venture Areva NP -formada em 2001- poderia ir contra as regras da UE. Essa cláusula ainda se aplica mesmo após a Siemens ter saído do empreendimento em 2009.

Em março, a Siemens e a Areva ofereceram restringir a obrigação de não concorrência para todos os principais produtos e serviços da Areva NP por três anos a partir de quando a Areva assumiu o controle da joint-venture.

Mais"Xerife" da Siemens é um dos maiores experts em combate à fraude

As companhias também propuseram anular a cláusula por produtos e serviços não essenciais.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.