Tamanho do texto

Conforme fato relevante, o segmento de refino, transporte e comercialização tem investimentos de US$ 51,7 bilhões para os projetos em implantação

O Plano de Negócios 2012-2016 da Petrobras, aprovado nesta quinta-feira, prevê que 60% dos investimentos (US$ 141,8 bilhões) irão para exploração e produção (E&P). Outros 27,7% (US$ 65,5 bilhões), para refino, transporte e comercialização; 5,8% (US$ 13,8 bilhões), para gás e energia; 2,1% (US$ 5 bilhões), para petroquímica; 1,5% (US$ 3,6 bilhões), para distribuição; 1,6% (US$ 3,8 bilhões), para biocombustíveis; e 1,3% (US$ 3 bilhões), para corporativo.

O Plano prevê que o segmento de exploração e produção (E&P) no Brasil investirá US$ 131,6 bilhões, sendo 69% (US$ 89,9 bilhões) no desenvolvimento da produção, 19% (US$ 25,4 bilhões) para exploração e 12% em infraestrutura. Os investimentos no pré-sal correspondem a 51% do valor total do E&P. Conforme o fato relevante, o segmento de refino, transporte e comercialização tem investimentos de US$ 51,7 bilhões para os projetos em implantação.

MaisPetrobras aprova investimentos de US$ 236,5 bilhões até 2016

Os projetos de expansão de capacidade de refino que entrarão em operação até 2016 são a Refinaria Abreu e Lima e o 1ª Trem de Refino do Comperj, que já estão na fase de implementação. "A estratégia da companhia permanece sendo manter as metas de capacidade de refino do plano anterior, buscando para as duas novas refinarias em avaliação, o alinhamento com métricas internacionais", dis a estatal, no comunicado.

O segmento de gás e energia tem alocado no plano US$ 7,8 bilhões para os projetos em implantação, entre eles a Unidade de Fertilizantes de Três Lagoas, Unidade de Produção do Fertilizante Sulfato de Amônio e a Usina Termelétrica Baixada Fluminense. "A implantação dos demais projetos em desenvolvimento dependerá da disponibilidade de gás natural nacional e da competitividade das termelétricas nos leilões de energia nova."

O negócio de Distribuição investirá US$ 3,3 bilhões, segundo o fato relevante, com destaque para os projetos de logística, visando acompanhar o crescimento do mercado doméstico e assegurar a posição de liderança no setor. O segmento de biocombustíveis prevê investimento total de US$ 3,8 bilhões, dos quais US$ 1,9 bilhão alocado em projetos em implantação e aquisições.

TambémPetrobras é única brasileira em ranking das empresas mais respeitadas do mundo

A maior parte dos investimentos está relacionada aos projetos de etanol conduzidos pela subsidiaria Petrobras Biocombustíveis (PBIO). Na área internacional, serão investidos aproximadamente US$ 6 bilhões, considerando os projetos em implantação, com ênfase no segmento de E&P, que representa 83% dos investimentos.

"Adicionalmente aos US$ 236,5 bilhões do Plano de Negócios da Petrobras, destacamos que os investimentos a serem realizados pelas empresas parceiras da Petrobras nas atividades de E&P serão de US$ 34 bilhões no período de 2012-16", acrescenta a companhia.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.