Tamanho do texto

Dos cerca de 270 lotes totais, apenas 54 foram vendidos, segundo a Anatel. O restante não atraiu proponentes. Na véspera, os quatro principais lotes totalizaram R$ 2,56 bilhões

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) informou nesta quarta-feira que a licitação das faixas de frequência destinadas à Internet móvel de quarta geração (4G) arrecadou 2,93 bilhões de reais. O processo foi encerrado há pouco. De acordo com a agência reguladora, o preço mínimo de todos os lotes somados chegava R$ 3,85 bilhões, mas o total arrecadado foi de apenas R$ 2,93 bilhões. O ágio médio do certame foi de 31,27% em relação ao valor mínimo de R$ 2,232 bilhões dos lotes adquiridos pelas empresas.

Leia também:Venda dos principais lotes do leilão de frequências 4G soma R$ 2,56 bilhões

Dos cerca de 270 lotes totais, apenas 54 foram vendidos, segundo a Anatel. O restante não atraiu proponentes ou não teve renúncia de espectro por parte das companhias autorizadas. O preço mínimo de todos lotes do edital estipulado pela Anatel era de 3,85 bilhões de reais.

Na véspera, os quatro principais lotes totalizaram 2,56 bilhões de reais, com Claro, Oi, TIM e Vivo apresentando os melhores lances para operar na frequência a partir de 2,5 gigahertz (GHz) para cobertura nacional de 4G.

A Claro desembolsou R$ 988,804 milhões por uma faixa nacional de grande capacidade de 4G e outras 19 faixas regionais complementares. Já a Vivo comprou apenas uma faixa nacional de maior porte, por R$ 1,050 bilhão. A TIM pagou R$ 382,238 milhões por uma faixa nacional de menor porte e outras seis faixas regionais. Já a Oi gastou R$ 399,783 milhões por uma faixa nacional de menor capacidade e outras 11 faixas de abrangências regionais. A Sky venceu a disputa para oferecer banda larga fixa 4G em 12 lotes regionais por R$ 90,576 milhões, enquanto a Sunrise levou dois lotes regionais por R$ 19,094 milhões. 

Os principais executivos das quatro companhias disseram que já conversam com fornecedores sobre o fornecimento de equipamentos para a tecnologia LTE, voltada 4G. A Nokia Siemens anunciou em nota nesta quarta-feira a produção de equipamentos para redes móveis do 4G, com a produção começando já no terceiro trimestre deste ano.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.