Tamanho do texto

Descumprimento foi aceito mediante pagamento pela empresa de taxa de 0,3% do valor nominal unitário dos papéis, corrigida desde a data do último pagamento de juros

A Usiminas divulgou na noite de segunda-feira que debenturistas da quarta emissão de papéis da siderúrgica aprovaram em assembleia o pedido da empresa para descumprimento de índice de índices de endividamento ao final dos segundo e quarto trimestres deste ano.

O descumprimento foi aceito mediante pagamento pela empresa de taxa de 0,3% do valor nominal unitário dos papéis, corrigida desde a data do último pagamento de juros até a data do pagamento da taxa, em 18 de junho.

Os debenturistas também aprovaram o pedido mediante manutenção de limite máximo de dívida que não ultrapasse o endividamento total do primeiro trimestre deste ano, "mantendo assim um endividamento máximo de R$ 4,7 bilhões de dívida mais US$ 2,2 bilhões". Além disso, foi definido um limite mínimo de caixa consolidado de R$ 3,5 bilhões.

O pedido de "waiver" da empresa foi aceito por detentores de 55,29% das debêntures em circulação, segundo a ata da assembleia. Os grupos que votaram contra o pedido foram BNP Paribas, Votorantim Asset Management, Sul America Investimentos, Previ e Western Asset Management.

No primeiro trimestre, a Usiminas, que enfrenta um ambiente de demanda fraca de aço no mercado interno e excesso de oferta internacional e tenta melhorar sua competitividade ante rivais autossuficientes em energia e minério de ferro, sofreu prejuízo de R$ 37 milhões, o primeiro resultado trimestral negativo desde o primeiro quarto de 2009.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.